Agendas extensas e pistas improvisadas

Os reflexos são sonolência, perda de concentração e na capacidade de tomar decisões, e irritabilidade

iG Minas Gerais | Tâmara Teixeira |

O diretor de segurança do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Mateus Ghisleni, conta que, em geral, os voos fretados feitos para campanhas em cidades do interior têm características próprias como a demora nas agendas e o pouso em pistas quase improvisadas.  

“Nas empresas de voos comerciais, o piloto tem a programação do mês inteiro. Os de voos fretados, não. Eles ficam disponíveis o tempo todo. Muitas vezes o piloto leva o político para a agenda, fica horas esperando e extrapola a jornada legal de 11 horas de trabalho por 12 horas de descanso”, afirma Ghisleni.

Segundo ele, o cansaço excessivo de um piloto, a fadiga, é diferente do de outros profissionais. “Quando se fala em fadiga não é o cansaço ao fim do dia, é aquele acumulado em semanas, por um mês inteiro”, diz.

Os reflexos são sonolência, perda de concentração e na capacidade de tomar decisões, e irritabilidade.

Quando os candidatos visitam cidades pequenas é comum, segundo os próprios políticos e assessores ouvidos pela reportagem, fazer pousos em fazendas, pistas de terra ou cascalho. “É uma situação mais delicada”, observa Ghisleni. A categoria pressiona o Congresso para aprovar um projeto que eleva de oito para 12 períodos de 24 horas de descanso por mês. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave