PSB dá primeiro passo oficial para a escolha de Marina Silva

O documento foi distribuído pouco antes do enterro de Eduardo Campos, neste domingo (17), às vésperas da reunião agendada para quarta

iG Minas Gerais | Da redação |

PE - MARINA/CAMPOS/VELÓRIO - POLÍTICA - A candidata a vice na chapa de Eduardo   Campos à Presidência, Marina Silva,   chega à casa   da família de Campos, na   zona norte do Recife (PE), na noite   deste sábado (16).   Dirigentes do PSB   acabaram de deixar a casa de Campos   afirmando que  Marina Silva deve     assumir a candidatura após o acidente   que  o matou. Segundo o novo presidente   da sigla,   Roberto Amaral, todos os   consultados pela direção do partido   endossam a candidatura de   Marina, mas   a definição da chapa só será anunciada   na próxima quarta-feira, após a     reunião da Executiva do partido.      16/08/2014 - Foto: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM/ESTADÃO CONTEÚDO
ESTADÃO CONTEÚDO
PE - MARINA/CAMPOS/VELÓRIO - POLÍTICA - A candidata a vice na chapa de Eduardo Campos à Presidência, Marina Silva, chega à casa da família de Campos, na zona norte do Recife (PE), na noite deste sábado (16). Dirigentes do PSB acabaram de deixar a casa de Campos afirmando que Marina Silva deve assumir a candidatura após o acidente que o matou. Segundo o novo presidente da sigla, Roberto Amaral, todos os consultados pela direção do partido endossam a candidatura de Marina, mas a definição da chapa só será anunciada na próxima quarta-feira, após a reunião da Executiva do partido. 16/08/2014 - Foto: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM/ESTADÃO CONTEÚDO

O PSB deu neste domingo (17) o primeiro passo oficial para escolher Marina Silva substituta de Eduardo Campos na corrida presidencial. Seu presidente, Roberto Amaral, divulgou nota dizendo que foi aberto "processo de consultas visando a construção de alternativa política consensual a ser adotada pela Executiva" do partido.

A nota termina com a frase dita por Eduardo Campos, estampada em todas as camisetas utilizadas nos últimos dias por seus aliados, "não vamos desistir do Brasil".

Segundo o texto, o ex-candidato do PSB "nos legou o dever de tornar realidade sua luta, que é a de todos nós: construir um Brasil próspero e justo".

O documento foi distribuído pouco antes do enterro de Eduardo Campos, neste domingo (17), às vésperas da reunião agendada para quarta-feira (20), quando não só será oficializada a candidatura de Marina como deve ser escolhido seu vice.

O mais cotado é o deputado Beto Albuquerque (RS), próximo a Eduardo Campos. A decisão, entretanto, passará pelo crivo da viúva Renata Campos.

Seu nome também é citado como uma das possíveis candidatas a vice. Inicialmente, foi dito que, por ser funcionária pública e não ter se licenciado do cargo, ela estaria impedida. Aliados dela disseram, porém, que Renata está afastada do trabalho legalmente desde que saiu de licença maternidade para ter o quinto filho.

Família

O irmão de Eduardo Campos, Antônio Campos, sugeriu na tarde deste domingo (17) que a família Arraes não vai deixar a política. Ele disse que torce para que seu sobrinho João - filho mais velho de Eduardo - ingresse na política e assegurou que sua cunhada Renata não deve aceitar, neste momento, qualquer proposta para ser candidata.

"Isso não foi colocado agora. Renata está priorizando a criação dos filhos, mas ela é quadro político importante, fez política com Eduardo também, e foi uma valorosa companheira do meu irmão", disse.

Nesta segunda-feira, Renata deve se reunir com as principais lideranças partidárias que compõem a aliança da Frente Popular em Pernambuco para pedir comprometimento com os ideias do marido.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave