Falta de dados gera dúvidas

Especialistas apontam que avião é equipado para evitar as falhas encontradas até o momento

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda e Camila Bastos |

Queda.Na caixa preta do Cessna, não foram encontrados registros das conversas do pilotos de Campos
Walter Mello/A Tribuna de Santos/Folhapress - 13.8.2014
Queda.Na caixa preta do Cessna, não foram encontrados registros das conversas do pilotos de Campos

Paralelamente às definições de quem será o substituto de Eduardo Campos na disputa presidencial, o PSB quer entender as reais causas do acidente que matou o candidato socialista e sua equipe na última quarta-feira. Com base nos relatos das testemunhas e das provas colhidas no local da queda do avião, especialistas ouvidos por O TEMPO dizem não entender quais falhas técnicas podem ter causado a tragédia, já que o modelo usado no percurso entre Rio de Janeiro e Santos é considerado um dos mais modernos, seguros e automatizados do mundo.  

Segundo um piloto que trabalha com uma aeronave igual à envolvida no acidente, modelo Cessna 560 XL, a hipótese de que o incêndio começou antes da queda do avião é questionável. Ele explica que o aparelho conta com equipamentos específicos para combater o fogo caso ocorra nas turbinas.

“Na cabine de comando há um aviso de incêndio. Há uma tecla que corta a ingestão de combustível e funções elétricas. Normalmente, só isso já contém o fogo, mas se não der certo tem outras duas teclas que ligam dois extintores de incêndio”, explica. Moradores do entorno da área do acidente garantem, no entanto, que antes da queda foi possível ver uma bola de fogo e, em seguida, ocorreu a explosão.

Gravação. Outro ponto questionável é a ausência do áudio das conversas de dentro do avião. Segundo análise dos peritos, a caixa preta não registrou os diálogos durante a última viagem. “O piloto tem que checar o equipamento antes da decolagem. Não se desliga o aparelho. Se não gravou é porque teve algum defeito, não acontece de acabar a bateria ou atingir o limite máximo de gravação”, explica.

O diretor de segurança de voo do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Mateus Ghisleni, diz que o comandante perceberia o problema na caixa preta, já que há um aviso no painel sobre isso.

Para outro piloto ouvido pela reportagem, a ausência de uma gravação levanta suspeitas, mas ele ressalta que é possível usar o aparelho para analisar outros fatores responsáveis pelo acidente. “Existe o quadro de voo, os registros dos comandos dados e a velocidade”, diz.

Devido aos questionamentos sobre o acidente, o comandante geral da Aeronáutica, Juniti Saito, informou que irá procurar o fabricante e a empresa de manutenção “porque não é usual” não ocorrer a gravação. Ele ainda questionou a existência de fogo na aeronave antes da queda. Saito também estranhou o fato de o piloto não ter comunicado nenhum problema técnico durante o percurso. Os pilotos dizem que até o último contato com a torre, minutos antes da queda, os procedimentos para pousar e arremeter foram corretos.

Segurança

Internacional. Segundo a fundação americana “Flight Safety”, que lista os acidentes aéreos ocorridos em todo o mundo, houve apenas mais um acidente envolvendo o Cessna 560, mas sem mortes.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave