Cartão de crédito do viajante fica livre

iG Minas Gerais | Janine Horta |

O empresário Jeferson dos Anjos, dono da Pack Docs, empresa especializada na gestão de arquivos, encomendou pelo Cabe na Mala uma bateria de notebook, depois de ter tentado de toda maneira adquirir esse produto aqui no Brasil. “Tudo funcionou muito bem. Eu entrei no site e disse o que queria, falei o quanto poderia pagar de recompensa – R$ 100. A bateria custava R$ 150 no site da Amazon. Tudo saiu para mim por R$ 250, mais barato do que esse tipo de bateria custaria aqui, cerca de R$ 400”, conta.  

Já Filipe Bragança trouxe dez produtos dos Estados Unidos por meio do Cabe na Mala e lucrou com a recompensa, ao todo, o montante de R$ 600.

“A vantagem de usar o Cabe na Mala é que você não tem que ter trabalho de comprar nada. Meu cartão de crédito ficou livre para outras compras. Só tive que pegar as encomendas na casa de uma amiga que mora em São Francisco, cidade que visitei nos Estados Unidos, e entregar para o pessoal aqui em Belo Horizonte”, conta ele.

Bragança enfatiza que todo o contato com as pessoas que fizeram as encomendas foi acompanhado pelo Cabe na Mala. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave