Dia e hora para voltar à ponta

Partida em casa, nesta tarde, se tornou crucial depois da vitória do Inter nesse sábado

iG Minas Gerais | Bruno Trindade e Guilherme Guimarães |

Marcador. Volante Henrique lembra que o Santos tem muitos bons jogadores, não só Robinho
douglas magno
Marcador. Volante Henrique lembra que o Santos tem muitos bons jogadores, não só Robinho

Cruzeiro e Santos já se enfrentaram em duelos épicos, transformando o confronto em um dos maiores clássicos do futebol brasileiro. Além do ápice da rivalidade, que se iniciou com a goleada celeste sobre o time de Pelé e companhia por 6 a 2, na final da Taça Brasil de 1966, os mineiros ainda levaram vantagem na Copa do Brasil de 2000, eliminando os paulistas na semifinal, e na disputa pelo título do Brasileirão de 2003, com duas vitórias incontestáveis na Vila Belmiro (2 a 0) e no Mineirão (3 a 0).

Apesar de ambas as equipes não contarem com os craques de outrora, o duelo deste domingo, às 16h, no Gigante da Pampulha, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, tem muitos ingredientes para se tornar mais um capítulo nessa disputa grandiosa. Pelo lado cruzeirense, a equipe busca retomar a ponta da tabela após ser ultrapassado pelo Internacional, que venceu o Goiás, neste sábado, por 1 a 0, e foi para 31 pontos, contra 30 do time de Belo Horizonte. Um empate ou uma vitória recoloca os mineiros no topo. Além disso, o técnico Marcelo Oliveira completará cem jogos e pode aumentar o seu índice de aproveitamento à frente da equipe.

Os santistas, por sua vez, buscam a reabilitação na disputa e a aproximação do G-4. Para isso, eles contam com Robinho, que costuma ter sorte contra o Cruzeiro no Mineirão. Ele já balançou as redes celestes três vezes.

Em campeonatos nacionais, o jogo irá representar um tira-teima. Cada um dos clubes venceu 19 partidas, com 16 empates. Na atual edição, os dois times estão há dois jogos sem vencer. A Raposa vem de dois empates, contra Botafogo (1 a 1) e Criciúma (0 a 0), enquanto o Peixe perdeu os últimos confrontos para Internacional (1 a 0) e Corinthians (1 a 0).

A vantagem da Raposa, além de ter uma equipe melhor, é jogar em casa, diante da torcida, onde o time chega a ser quase imbatível. Porém, isso não ilude os atletas cruzeirenses. “É sempre difícil. Todos os adversários têm grandes jogadores. Eles têm Robinho, Thiago Ribeiro, que esteve conosco, e o Damião também. A gente tem a missão de neutralizá-los. Vai ser difícil, teremos dificuldades pela qualidade do adversário, mas temos competência para marcá-los da melhor maneira”, declarou o volante Henrique.

O técnico Marcelo Oliveira afirmou que não existe nenhuma orientação para que Robinho seja marcado de forma individual. “É assim que a gente marca. Não tem por que o lateral sair da posição dele e marcar no meio. Se ele (Robinho) deixar o Mayke muito solto também, ele vai atacar bastante. Temos apenas que cumprir alguns detalhes para impedir o adversário de jogar”, afirmou.

O atacante Willian também pede atenção com o destaque santista. “Todos sabem da sua qualidade, da sua história, a gente respeita. Mas dentro de campo, são 11 contra 11. Temos qualidade e jogadores de experiência, sobretudo no setor defensivo. Não podemos ter cuidados só com o Robinho, mas com a equipe toda. Precisamos entrar concentrados para conquistar a vitória”, concluiu.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave