Compre ou alugue uma bike

Meio de transporte mais popular da cidade é utilizado por 40% dos moradores de Amsterdã depois do tram (bonde)

iG Minas Gerais | Paulo Campos |

Bicicletas. Meio de transporte mais popular tem até grandes estacionamentos, próximos aos canais
Paulo Campos
Bicicletas. Meio de transporte mais popular tem até grandes estacionamentos, próximos aos canais

Amsterdã não é uma cidade fácil de se gostar à primeira vista. Deve-se permanecer, pelo menos, três dias para ser envolvido definitivamente pela sua atmosfera. De preferência, um fim de semana, quando está literalmente apinhada de gente das mais variadas nacionalidades.

É preciso tempo para se apaixonar por seus canais – você terá a impressão de que já passou por ali duas ou três vezes –, por suas fachadas monocromáticas – não estranhe se perceber os prédios inclinados para a frente –, por seus pubs lotados de gente ou por seu ar de libertinagem acompanhado de uma “maresia”.

Seu encanto também pode estar no povo loiro e bonito que circula nas ruas. O holandês é um tipo bem característico: são simpáticos, solícitos, arriscam o inglês, e, se você quer um contato, fale em futebol. As bicicletas são integrantes do cenário – 40% da população de Amsterdã utiliza esse meio de transporte.

Bikes

Se quer uma imagem impressionante para foto, visite o imenso estacionamento de bikes próximo à estação central. “O holandês nasce e é colocado em uma bicicleta, não em um berço”, brinca um guia local. A cidade tem 500 km de ciclovias, um enxame metálico “perigoso” para o turista desavisado nas vias públicas.

Como os táxis são caros e a rede de transporte público, boa, bikes podem ser alugadas em inúmeras lojas ou nos próprios hotéis ao preço de 16 euros por dia. Em torno do Vondelpark, a maior área verde da cidade, há inúmeras lojas. A curiosidade é que Amsterdã tem mais magrelas (881 mil) do que moradores (820 mil).

Como em qualquer cidade brasileira, os ciclistas holandeses não respeitam muito a sinalização. Mas se gabam de serem tão bons que podem correr, manobrar e ultrapassar como e onde quiserem. Em Amsterdã, até para guiar uma bike é preciso cuidado com os holandeses, que não têm paciência com ciclistas estrangeiros.

Como Amsterdã é compacta e plana, uma bike é ótima para descobrir caminhos. Para distâncias maiores, pode-se utilizar os “tram”, nome dado aos bondes que cortam toda a cidade, muitos deles na rota de vários atrativos turísticos. Os bilhetes podem ser adquiridos em tabacarias ou bancas.

Ciclista na pista

Cuidado. Segundo a agência Associated Press, todo ano cerca de 12 mil bicicletas são retiradas dos canais

Em Amsterdã

Acesso: O aeroporto de Schipol é a porta de entrada de Amsterdã. Ao desembarcar, siga as placas que indicarão o caminho para apanhar o trem. No andar de baixo, plataformas não só levam ao centro da capital holandesa como a inúmeros destinos europeus. Procure o balcão de informações e descubra em que plataforma deve apanhar o trem para a estação central. O percurso dura menos de 30 minutos, e o tíquete custa cerca de 5 euros. Informações: Em frente à Amsterdam Central existe um Centro de Informações Turísticas. Facilidade: Compre o Amsterdam Card ao custo de 67 euros (sete dias). Ele dá acesso a transporte público, desconto em museus e restaurantes.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave