Corta por baixo?

Conheça o undercut, o corte da vez que é a febre entre os jogadores de futebol

iG Minas Gerais | Lorena K. Martins |

Undercut feito no Maison Rocha, com os fios mais ondulados no topo da cabeça
andrey zenith/divulgação
Undercut feito no Maison Rocha, com os fios mais ondulados no topo da cabeça

O corte é praticamente unânime na cabeça dos jogadores de futebol, principalmente fora do país. Foi durante a Copa do Mundo, inclusive, que ele ganhou repercussão com Neymar e, é claro, não demorou muito para ser copiado. Afinal, é no campo que muita tendência é estrategicamente exposta para ser ditada para o público masculino. É por isso que inspirados por David Beckham – jogador que dispensa apresentações no quesito estilo – vários homens estão adotando o undercut, um estilo de corte que você provavelmente não deve conhecer pelo nome, mas possivelmente já o viu. Como o próprio nome sugere (under – por baixo, cut – corte), o estilo é mais raspadinho nas laterais e com os fios maiores no topo de cabeça. A influência vai desde os cortes militares até penteados dos tempos de rockabilly, clássicos dos anos 70. O mais recente a investir no estilo foi o Messi, jogador do Barcelona.W

Tudo bem que possivelmente qualquer corte deve ficar bem em Beckham, mas para adotar o visual, o undercut precisa ser adaptado ao formato da cabeça para que, depois de raspado, não haja surpresas. Já o tipo de cabelo, vale para todos: dos superlisos aos cacheados irreverentes. “A geometria do rosto precisa ser bem analisada e também a quantidade de cabelo que deve combinar com um estilo mais ou menos raspado”, explica Rosângela Rocha, hair stylist e sócia-proprietária do Maison Rocha, em Belo Horizonte, onde o corte é sucesso na ala masculina.

Para deixar os fios ainda mais versáteis e fáceis na hora de manusear, Rosângela explica que o grande truque é no fim do corte, quando os fios são texturizados com o auxílio de uma tesoura fio navalha. “Esse detalhe permite variar os fios na hora de finalizar. Eles vão ficar mais leves e com movimento, assim pode-se variar, ser usado todo para trás com gel, ou com topete ou de lado com os fios mais despojados”, sugere.

Grand finale

Para manter os fios no lugar – ou não, já que nesse estilo é superválido – Rosângela explica que o acabamento pode ser feito com uma pomada para estilizar, no caso dos fios mais grossos. Nos finos, vale usar também um spray de fixação para dar uma mãozinha na modelagem. A manutenção do corte pode ser feita de 30 em 30 dias, para aparar principalmente o pescoço e em volta das têmporas.

Antes de adotar definitivamente o visual rockabilly, listamos algumas inspirações. Afinal, para combinar com um corte ousado desses, vale inserir uma dose de estilo. Topa?

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave