Programa eleitoral começa com homenagem ao político Eduardo Campos

Afirmação foi feita por Fernando Bezerra, candidato ao Senado por Pernambuco, que está a caminho de Recife para acompanhar o velório

iG Minas Gerais | Da redação |

Os primeiros programas eleitorais gratuitos da coligação Muda Brasil serão grandes homenagens ao candidato Eduardo Campos, morto no acidente aéreo em Santos. "São pouco mais de quatro minutos, então é isso que será feito nas inserções de terça-feira", afirmou Fernando Bezerra, candidato ao Senado por Pernambuco.

O Ministro da Integração Nacional do governo Dilma até outubro de 2013 embarcou para Recife, na tarde deste sábado (16), no mesmo avião que levou os restos mortais de Eduardo Campos e mais quatro mortos na queda do avião.

Depois do início do horário eleitoral, os próximos programas gratuitos, segundo o regulamento oficial do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) serão na terça-feira (18) e, depois, no sábado (20). "Na quinta-feira, a Marina [Silva] deverá falar durante todo o tempo. E, depois, no sábado, com o vice-candidato provavelmente definido, começam as discussões políticas", segundo Bezerra.

Apesar de a FAB ter aconselhado o contrário, um grupo de 25 pessoas resolveu ir para o Recife no Hércules que levou os corpos de Campos, do cinegrafista Marcelo de Oliveira Lyra, do assessor Carlos Percol, do fotógrafo Alexandre Severo Gomes da Silva, e do ex-deputado federal Pedro Almeida Valadares Neto, que será enterrado em Aracaju (SE). Como o avião cargueiro da Força Aérea não tem separação em seu comportamento de carga, os caixões e as pessoas viajaram no mesmo espaço, dentro do avião. O que, para a FAB, poderia causar muita emoção aos passageiros do voo, que deixou São Paulo por volta das 19h. 

"É uma emoção dolorosa. Mas vamos em um grupo de amigos que sempre esteve junto com o Eduardo. E agora não poderia ser diferente", afirmou Bezerra. O candidato ao governo do Estado de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), aposta de Campos para ocupar o posto que já foi dele, também embarcou no Hércules da FAB. 

Apesar dos boatos de que ele não seria mais candidato ao governo, desmentidos pela própria família de Eduardo Campos, Câmara falou em seguir o legado deixado pelo colega morto. "Agora, sem ele, aumenta ainda mais a responsabilidade de fazer um bom governo", disse Câmara. O candidato socialista, segundo a pesquisa Datafolha do dia 15, aparece em segundo lugar, com 13% das intenções de votos. Armando Monteiro (PTB) é o primeiro colocado na disputa, com 47%.

Leia tudo sobre: eduardo camposhomenagemhorário político