Com reservas, Brasil derrota dominicanas no Grand Prix

Seleção brasileira já estava classificada antecipadamente para a fase final da competição internacional

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Brasil manteve os 100% de aproveitamento na competição internacional mesmo atuando com os reservas
Divulgação/FIVB
Brasil manteve os 100% de aproveitamento na competição internacional mesmo atuando com os reservas

Classificada antecipadamente para a fase final do Grand Prix, a seleção brasileira feminina de vôlei entrou em quadra neste sábado com uma equipe quase toda reserva, mas nem por isso teve a sua invencibilidade ameaçada. Em Bangcoc, na Tailândia, o Brasil superou a Republica Dominicana por 3 sets a 0, com parciais de 25/19, 25/11 e 29/27, em 1 hora e 23 minutos, em duelo válido pelo Grupo G do torneio.

Esta foi a oitava vitória da seleção brasileira em oito jogos na competição. Líder disparado da fase de classificação do Grand Prix, o Brasil soma 23 pontos e encerra a sua participação nesta etapa do torneio neste domingo, às 6h30 (horário de Brasília), diante da Tailândia. Derrotada, a República Dominicana é a lanterna da fase de classificação, com apenas três pontos e uma vitória em oito partidas.

Com o Brasil classificado, o técnico José Roberto Guimarães escalou neste sábado uma equipe formada basicamente por reservas. A seleção começou a partida com a levantadora Fabíola, a oposto Tandara, as ponteiras Gabi e Natália e as centrais Carol e Fabiana, além da líbero Camila Brait. Dani Lins e Andréia entraram durante a partida. Gabi foi a maior pontuadora da partida, com 18 acertos, três a mais do que Fabiana.

"Fiquei feliz porque nossa equipe entrou muito bem em quadra. O Zé Roberto nos deu essa oportunidade e conseguimos aproveitar. Sabemos que precisamos de ritmo de jogo e a partida de hoje foi importante para isso. Nossos jogos com a República Dominicana são sempre difíceis. Tivemos dificuldade no terceiro set, mas conseguimos fechar a partida em três sets", disse Gabi.

Zé Roberto explicou a decisão de poupar as principais jogadoras brasileiras e festejou a resposta dada pelas reservas. "Foi um confronto importante para dar ritmo de jogo para todo o grupo. Vamos disputar uma fase final com cinco jogos consecutivos. Por isso, é importante termos todas as atletas nas suas melhores condições. Esse é o nosso objetivo. Ontem, tivemos um confronto muito difícil com os Estados Unidos e o tempo de recuperação para o jogo de hoje foi pequeno. Por isso, a participação das jogadoras que entraram foi muito importante e fiquei feliz com a maneira que jogamos", afirmou.

O JOGO - O Brasil começou melhor a partida deste sábado e foi ao primeiro tempo técnico com uma vantagem de três pontos - 8/5. As dominicanas chegaram a empatar o primeiro set em 10/10, mas logo as brasileiras deslancharam, com bom desempenho no saque e bloqueio, e fizeram 16/11. Assim, sem muita dificuldade, fecharam a parcial em 25/19.

O início do segundo set do Brasil foi arrasador, com a equipe chegando a fazer 13/2. A vantagem foi ampliada para 13 pontos no segundo tempo técnico - 16/3. Depois, as brasileiras só precisaram administrar a situação amplamente favorável para fechar a parcial em 25/11.

O terceiro set foi o mais equilibrado da partida, com a República Dominicana chegando a abrir 7/5. O Brasil conseguiu a virada com o bom desempenho do seu bloqueio e fez 13/12. A partir daí, o ser ficou disputado ponto a ponto. No final, quem se deu melhor foi a seleção brasileira, que fechou a parcial em 29/27 e o jogo em 3 sets a 0 para a assegurar a sua oitava vitória nesta edição do Grand Prix.

Leia tudo sobre: voleibrasilrepublica dominicanagrand prix