Taça BH chega à 30ª edição com a missão de revelar atletas

Disputa surgiu para que times mineiros tivessem a chance de enfrentar clubes de outros Estados

iG Minas Gerais | Antônio Anderson |

Vitrine. Meia-atacante Bernard, hoje na Ucrânia, despontou no futebol justamente na Taça BH de 2011, como atleta da base do Galo
Atlético/divulgação – 13.6.2011
Vitrine. Meia-atacante Bernard, hoje na Ucrânia, despontou no futebol justamente na Taça BH de 2011, como atleta da base do Galo

Em sua 30ª edição, começa hoje a Taça BH de futebol júnior, considerada a segunda competição mais importante do país envolvendo categorias de base. O torneio é superado apenas pela Copa São Paulo e ficou famoso nessas últimas três décadas por revelar vários craques para o futebol brasileiro.

Idealizada por Chafith Felipe, que trabalhou nas categorias de base do Cruzeiro na década de 80, a competição surgiu como uma alternativa para que os atletas do futebol mineiro pudessem enfrentar e conhecer o futebol de clubes tradicionais de outros Estados. A meta era que esse jogadores ganhassem mais experiência e não sentissem tanto a parte emocional quando fossem atuar fora dos limites de Minas Gerais.

A ideia acabou ganhando força e a competição emplacou, dando a oportunidade para vários atletas importantes, como goleiro Diego Alves, campeão com o Atlético em 2005, e que no ano seguinte foi campeão com o Galo da Série B, antes de se transferir para o futebol espanhol. Também se destacou na competição Ronaldo Fenômeno, campeão com o Cruzeiro no ano de 1993.

Ronaldo acabou negociado pelo Cruzeiro ao PSV, da Holanda, e defendeu ainda Barcelona-ESP, Inter de Milão-ITA, Real Madri-ESP e seleção brasileira, onde foi campeão mundial em 1994 e 2002. Atual técnico do América, Moacir Júnior também apareceu na competição e foi campeão em 1985, pelo Cruzeiro. Mais recentemente, os dois jogadores mais lembrados são o atacante Samir, que disputou a Taça BH de 2005 pelo Atlético-PR e, neste ano, defendeu a seleção da Croácia na Copa, e Bernard, campeão em 2011 pelo Atlético.

Bernard subiu para o profissional do Atlético um ano depois e foi um dos principais destaques da equipe alvinegra na conquista da Copa Libertadores de 2013. As atuações do meia fizeram com que ele fosse vendido ao Shakhtar Donestsk-UCR por R$ 77 milhões. O jogador ainda fez parte do grupo da seleção brasileira que disputou o Mundial.

Nas 29 edições anteriores, os principais vencedores da competição são os clubes mineiros. Atlético e Cruzeiro lideram o ranking, com cinco títulos cada, enquanto o América foi campeão uma vez. Valério e Santa Teresa também foram vice-campeões uma vez.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave