Moradores se recusam a ir para abrigos

iG Minas Gerais |

A coordenadora do Comitê de Políticas para a População de Rua da prefeitura, Soraya Romina, declarou que o Executivo faz um trabalho de informação e conscientização dos sem-teto, mas que há uma resistência por parte deles de sair da rua.

Segundo ela, como os moradores de rua já romperam com “as regras sociais”, é complicado se adequar aos hábitos adotados em abrigos, como horários definidos e obrigação de banho. Belo Horizonte tem hoje 900 vagas em repúblicas e albergues.

Trabalho. Soraya informou ainda que há uma ação contínua da prefeitura de mapeamento e assistência às pessoas que moram nas ruas de Belo Horizonte. Assistentes sociais e psicólogos conversam com esses moradores frequentemente para que saiam dessa condição. (AD)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave