Taxa zero é a carta na manga

Concessionárias da capital mineira começam a sentir melhoria nas vendas e reforçam promoções

iG Minas Gerais | Janine Horta |

Esforço. Cláudio Garcia, da Jorlan Chevrolet, disse que as taxas e condições são melhores se a entrada for com um valor maior
Lincon Zarbietti / O Tempo
Esforço. Cláudio Garcia, da Jorlan Chevrolet, disse que as taxas e condições são melhores se a entrada for com um valor maior

A venda de veículos zero dá sinais de que começa a se recuperar em agosto, após o período de vacas magras registrado em julho e junho. A Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) divulgou nesta semana um crescimento de 11,78% nas vendas (levantamento feito até a quarta-feira, dia 13), ante igual período de julho.

A média de carros vendidos por dia em agosto foi de 12,06 mil unidades, melhor que as 10,79 mil unidades por dia de julho. São dados que somam as vendas em todo o país. A tendência é que o ritmo de vendas continue melhorando ao longo dos meses do segundo semestre, que, de acordo com as concessionárias, registra resultados sempre melhores que o primeiro semestre. A expectativa da Fenabrave é que a melhora seja de 5%, embora sobre uma base ruim, já que o primeiro semestre de 2014 registrou queda nas vendas de 7,56%

Sendo assim, a Fenabrave avalia que as vendas de veículos em 2014 devem cair entre 6,5% e 7,5% em relação a 2013, ou seja, uma redução da queda acumulada de 8% até agora entre os períodos.

Taxa zero. Os lojistas de Belo Horizonte já começaram a registrar a melhoria nas vendas e firmam suas esperanças no argumento da taxa zero: quando não há juros sobre as prestações e os valores são fixos. O cliente paga o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e a taxa de abertura de crédito aos bancos. Praticamente todas as lojas trabalham com esse mecanismo de venda para os clientes que podem dar 60% de entrada.

Na Jorlan Chevrolet, antiga Orca Veículos da avenida Pedro II, no bairro Carlos Prates, o supervisor de vendas de veículos novos Cláudio Garcia diz que é possível até uma entrada menor para a taxa zero. “Há outros tipos de negociação possíveis, e taxas especiais conforme o que a pessoa pode dar de entrada”, assegura.

Na Roma Fiat do bairro Gutierrez, na esquina das avenidas Amazonas e Francisco Sá, o supervisor de vendas Mark Crepalde dá a dica: “Nesta ou nas outras concessionárias Fiat é possível conseguir um veículo zero km com até R$ 3.000 de desconto. O segredo é visitar as lojas, andar bastante e negociar. Pode ser que o cliente esteja na loja no momento em que chega um carro com condição melhor vindo do estoque da fábrica”, orienta.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave