Na onda dos triciclos

Modelos trazem a sensação de liberdade de uma moto, porém com mais estabilidade; cada vez mais marcas lançam produtos no segmento

iG Minas Gerais | Raphael Panaro |

Modelo oferece freios ABS e controle de tração
Piaggio/Divulgação
Modelo oferece freios ABS e controle de tração

De uns tempos para cá, o mercado de motocicletas no mundo viu surgir uma nova “categoria”: a de triciclos. Com a proposta de tornar mais fácil a pilotagem e ser mais estável que uma moto “convencional” – mas com dimensões semelhantes – os modelos de três rodas ganharam adeptos. O pontapé inicial foi dado pela italiana Piaggio e seu scooter-triciclo MP3, há oito anos. O veículo já ultrapassou a marca das 150 mil unidades vendidas na Europa. A “resposta” demorou um pouco, mas Peugeot, Yamaha e Harley-Davidson também lançaram os seus. No Brasil, o único representado é o canadense Can-Am Spyder, mas é difícil “topar” com um nas ruas.

Na Europa, condutores com habilitação apenas para automóveis podem pilotar triciclos. E isso tem a ver com a proposta do veículo. Ele acopla as duas rodas dianteiras a um sistema de paralelogramo formado por braços em alumínio. Segundo a Piaggio, esse sistema – que funciona em conjunto com a suspensão eletro-hidráulica – permite uma pilotagem semelhante à de qualquer motocicleta convencional, mas com maior estabilidade e segurança para quem vai em cima. Atualmente, há nove variações do scooter-triciclo da Piaggio com versões urbanas e esportivas. Ele pode vir com motores monocilíndricos de 278 cm³ e 22 cv ou de 493 cm³ e 40 cv. Há ainda uma versão híbrida – MP3 Hybrid 300ie – que alia propulsor a combustão de 278 cm³ e 25 cv a outro elétrico de 3,5 cv de potência.

Maior No Brasil, a primeira marca a investir nesse segmento foi o grupo canadense BRP. A empresa inovou ao trazer o Can-Am Spyder, que se assemelha a motos maiores e difere do tradicional com duas rodas espaçadas na frente e uma atrás. Ele possui versões para touring, intermediária e esportiva e valores que vão de R$ 47.900 até R$ 84.900. A maioria dos países europeus exige uma habilitação válida para automóvel para dirigir o Spyder. Em países como os EUA, exige-se uma carteira de habilitação de moto ou de triciclo. Por aqui, para pilotar o Can-Am Spyder a legislação exige do condutor a CNH de categoria A, para motocicletas.

 

Leia tudo sobre: mototricicloPiaggioBRP