Empresa e PSDB notificam Justiça Eleitoral por cartaz do Greenpeace

Organização não governamental (ONG) assumiu a autoria das montagens da presidenta Dilma Rousseff e do governador Geraldo Alckmin, ambos candidatos à reeleição pelo PT e pelo PSDB

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Greenpeace pode ser alvo de inquérito policial por juntar Dilma e Alckmin em cartaz
Greenpeace/Divulgação
Greenpeace pode ser alvo de inquérito policial por juntar Dilma e Alckmin em cartaz

A empresa Otima, concessionária responsável pela publicidade nos pontos de ônibus da cidade de São Paulo, informou, em nota, que notificou a Justiça Eleitoral por causa da afixação, sem autorização, de cartazes com uma fotomontagem da presidenta Dilma Rousseff e do governador Geraldo Alckmin, ambos candidatos à reeleição pelo PT e pelo PSDB, em seus painéis publicitários. O PSDB também informou que notificou a Justiça Eleitoral.

A organização não governamental (ONG) Greenpeace Brasil assumiu a autoria do ato, que ocorreu no último dia 13 de agosto. A entidade alterou os painéis publicitários nos pontos de ônibus da capital paulista para pedir mais “compromisso” dos candidatos com a mobilidade urbana.

A ONG abriu os painéis e colocou cartazes com a frase: “A espera acabou. Até o final de 2014 a extensão do metrô de São Paulo vai dobrar”. Abaixo dos dizeres aparecia uma montagem com a foto da presidenta da República e do governador. A ação foi feita na manhã do último dia 13. Os cartazes já foram retirados.

Em nota, o Greenpeace ressaltou que fez a “intervenção” em 100 painéis da cidade, nas regiões da Vila Madalena, Avenida Paulista, Vila Mariana, e nas proximidades do Parque Ibirapuera. “A provocação realizada pelo Greenpeace Brasil tem o objetivo de pressionar os candidatos (Dilma é candidata à reeleição assim como Alckmin) a assumir verdadeiro compromisso com a melhoria do transporte público e com a mobilidade urbana para além de promessas eleitoreiras”, disse.

Segundo o Greenpeace, nos últimos quatro anos, apenas 13% do foi anunciado de expansão do metrô pelo governo estadual foram executados e “o governo federal, por sua vez, repetiu o papel de transferir a responsabilidade. Limitou-se a acompanhar passivamente a incapacidade dos entes estaduais e municipais de não aplicar os recursos transferidos pela União para desenvolver e executar os projetos de mobilidade urbana”.

Já a Otima informou que foi surpreendida com a violação de seus painéis publicitários. “A ação criminosa consistiu na colocação indevida e ilegal de cartazes com fotos de candidatos às eleições de outubro próximo em seus mobiliários”. A empresa disse ainda que registrou boletim de ocorrência na 15ª Delegacia de Polícia (Itaim Bibi) para apuração de responsabilidades.

À Agência Brasil, o PSDB informou que “a peça não foi feita pela campanha, que notificou a Justiça Eleitoral e aguarda as providências”. Procurado pela reportagem, o PT não se manifestou sobre o assunto. A assessoria do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo informou que terá mais informações sobre o caso na segunda-feira.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave