Na última pesquisa antes de morrer, Campos subiu dois pontos

Levantamento mostra uma oscilação dentro da margem de erro, mas maior que a dos concorrentes

iG Minas Gerais | Da Redação |

A revista "IstoÉ" divulgou nesta sexta-feira (15) a última pesquisa realizada com o nome de Eduardo Campos para a Presidência da República, e os números mostram que ele começava a ganhar votos, ainda que lentamente. Com a morte do candidato do PSB, o levantamento ficará apenas como um registro histórico do último momento de Campos na campaha eleitoral. Embora tenha oscilado dentro da margem de erro, de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos, Eduardo Campos experimentou uma elevação maior do que a dos outros concorrentes, quando o resultado é comparado à pesquisa de julho. Na análise feita pelo instituto "Sensus", Dilma Rousseff registrou 32,7% (em julho tinha 31,6%), Aécio Neves alcançou 21,4% (tinha 21,1%) e Eduardo campos somou 9,2% (7,2% no levantamento anterior). Pastor Everaldo (PSC) somou 1,7% dos votos no levantamento feito entre os dias 9 e 12 de agosto, um dia antes da morte de Campos. Luciana Genro (PSOL), Eduardo Jorge (PV) e Zé Maria (PSTU) registraram 0,5%. Levy Fidelix (PRTB) e Eymael (PSDC) somaram 0,2% e Rui Costa Pimenta (PCO) foi citado por 0,1% dos eleitores. O número de eleitores que declararam voto em branco ou nulo, ou não responderam chegou a 33,2%. A pesquisa IstoÉ/Sensus foi registrada na Justiça Eleitoral com o número BR-00336/2014. Foram ouvidas 2.000 pessoas em 136 municípios de 24 Estados do país. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais e o intervalo de confiança é de 95%.

Leia tudo sobre: eleiçãoeleições2014eduardo camposcampospsbpesquisaistoésensus