Cinco nomes são favoritos para ocupar vaga de vice de Marina

Decisão do partido para a formação da nova chapa será discutida em reunião na próxima quarta-feira (20)

iG Minas Gerais | Da Redação |

Júlio Delgado ainda não definiu como será a convenção do partido em Minas Gerais
Lúcio Bernardo/Câmara Dep - 29.4.2014
Júlio Delgado ainda não definiu como será a convenção do partido em Minas Gerais
Em vias de se concretizar, a candidatura de Marina Silva (PSB) em lugar de Eduardo Campos lança a discussão sobre o eventual candidato a vice na disputa presidencial. O martelo começa a ser batido na próxima quarta-feira (20), mas já há pelo menos cinco favoritos ao posto. Um dos postulantes é Antônio Campos. Advogado e membro do diretório nacional do partido, ele é o único irmão do político morto na quarta-feira e foi o primeiro a lançar o nome de Marina Silva para a sucessão presidencial. Pela ligação com Campos e a boa relação com Marina, o deputado federal mineiro Júlio Delgado é outra opção. No entanto, é difícil saber se ele toparia abrir mão de uma reeleição quase certa à Câmara para uma aventura que pode lhe tirar o mandato. Delgado recusou, por exemplo, a ideia de ser candidato a governador em Minas Gerais, justamente pela improbabilidade de vitória. Foi o que abriu caminho para que seu pai fosse filiado ao partido para concorrer. Maurício Rands, que é primo da viúva de Eduardo Campos e veio dos quadros do PT, seria uma opção que também agradaria os dois lados. Ele foi deputado federal duas vezes e está sem mandato após se desfiliar do Partido dos Trabalhadores em 2012 e entrar para o PSB. O líder do PSB na Câmara, Beto Albuquerque, também está no páreo. Advogado, ele tem a experiência de quatro mandatos de deputado federal e foi um dos grandes porta-vozes de Campos nas críticas ao governo federal, no processo que culminou com a saída do PSB da base aliada. Opção menos provável, mas também cogitada, é o da viúva Renata Campos. Filiada e militante do partido, com grande influência sobre o próprio marido, Renata, no entanto, não estaria disposta a abandonar o cuidado com os filhos, sobretudo com o recém-nascido Miguel, para dedicar-se à campanha em lugar do marido morto.

Leia tudo sobre: eleiçãoeleiçõesvicechapacamposmarinarandsjulio delgadobeto albuquerquerenata camposantonio campos