Ucrânia diz ter destruído blindados russos que entraram no país

Inicialmente, a informação foi relatada pelos jornais britânicos "The Guardian" e "The Telegraph"; Segundo as publicações, 23 blindados de transporte russo entraram em território ucraniano

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

 A Ucrânia confirmou nesta sexta-feira (15) a entrada de um comboio de veículos militares russos durante a madrugada, no que pode ser a primeira incursão de Moscou ao território ucraniano desde a anexação da Crimeia, em março.

Inicialmente, a informação foi relatada pelos jornais britânicos "The Guardian" e "The Telegraph". Segundo as publicações, 23 blindados de transporte russo entraram na Ucrânia por uma estrada que passa por uma brecha na cerca da fronteira.

Os veículos, que levavam homens armados, seguiram para a cidade de Donetsk, tomada pelos separatistas pró-Rússia e que é alvo de uma ofensiva do Exército ucraniano desde quarta (13). A Rússia ainda não comentou sobre a entrada dos tanques.

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, declarou que as forças do país destruíram "parte significativa" da coluna armada que, de acordo com o Exército, foi interceptada assim que cruzou a fronteira.

Eles não confirmam o número de veículos que entraram no país nem quantos deles foram destruídos, mas afirmam que tomarão providências contra o que chamaram de invasão russa. O secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, também disse que se tratava de uma incursão russa. Devido à entrada dos blindados, o Reino Unido convocou o embaixador russo em Londres para esclarecer a situação.

Ajuda humanitária

Em nota, a Chancelaria russa acusou o país vizinho de impedir a chegada do comboio de ajuda humanitária a Lugansk, no leste ucraniano, e pediu um cessar-fogo nos combates entre as forças ucranianas e os separatistas.

A entrada da ajuda humanitária foi acertada na semana passada entre as autoridades de Moscou e Kiev, mas atrasou devido à desconfiança dos ucranianos de que o envio de suprimentos seria um disfarce para a entrada de tropas russas.

Na quinta (14), o grupo de 260 caminhões avançou para o cruzamento de uma estrada russa que dá acesso direto à cidade de Lugansk, que enfrenta a escassez de água e comida em meio a um cerco do Exército ucraniano.

Segundo a ONU, mais de 2.000 civis ucranianos morreram no último mês devido ao conflito e dezenas de milhares precisam de ajuda humanitária.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave