Brasil vira sobre os Estados Unidos e vai às finais do Grand Prix

Seleção canarinho bateu as estadunidenses por 3 sets a 2, com parciais de 29/31, 22/25, 25/22, 25/19 e 15/10

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Com o resultado, o Brasil permanece na liderança isolada do Grand Prix
REPRODUÇÃO/CBV
Com o resultado, o Brasil permanece na liderança isolada do Grand Prix

A seleção brasileira feminina de vôlei está classificada antecipadamente para a fase final do Grand Prix. Em busca do seu décimo título do torneio, a equipe dirigida por José Roberto Guimarães avançou com a vitória, de virada, sobre os Estados Unidos por 3 sets a 2, com parciais de 29/31, 22/25, 25/22, 25/19 e 15/10, nesta sexta-feira, em Bangcoc, na Tailândia, que recebe o Grupo G.

Com o resultado, o Brasil permanece na liderança isolada do Grand Prix, com 20 pontos e sete vitórias em sete partidas disputadas. Mas a equipe ainda fará mais dois jogos na Tailândia que terão caráter de preparação para as finais do torneio, que serão disputadas no Japão na próxima semana.

Antes da etapa decisiva, a equipe vai duelar com a República Dominicana, neste sábado, e com a anfitriã Tailândia, no próximo domingo, em Bangcoc. Mais cedo, as duas seleções se enfrentaram nesta sexta-feira, com vitória das tailandesas por 3 sets a 1.

Brasil e Estados Unidos já haviam se enfrentado nesta edição do Grand Prix, no último domingo, em São Paulo, quando as norte-americanas foram batidas por 3 sets a 0. Dessa vez, porém, as brasileiras enfrentaram bem mais dificuldades para assegurarem o triunfo e a campanha 100% na competição.

Nesta sexta-feira, Zé Roberto escalou Dani Lins, Sheilla, Jaqueline, Fernanda Garay, Thaísa e Fabiana como titulares, além da líbero Camila Brait, e promoveu as entradas de Natália, Fabíola, Andréia e Tandara durante o confronto. Thaísa, com 23 pontos, e Sheilla, com 20, foram os principais destaques brasileiros. Já a norte-americana Kelly Murphy foi a maior pontuadora do duelo com 26 acertos.

A partida desta sexta-feira teve um começo equilibrado, mas quase sempre com o Brasil à frente do placar, tanto que a equipe foi ao primeiro tempo técnico com uma vantagem de 8/6. Com boa atuação de Sheilla, a seleção chegou a abrir 11/7, mas permitiu a reação das norte-americanas, que empataram a parcial em 16/16. A definição do set foi emocionante e acabou sendo favorável aos Estados Unidos, que venceram por 31/29, com o último ponto sendo marcado por Akinradewo.

Com a derrota, Zé Roberto trocou Fernanda Garay por Natália no começo do segundo set, mas a mudança não surtiu efeito, tanto que as norte-americanas chegaram a abrir 12/6. A situação desfavorável levou o treinador a realizar novas mudanças, invertendo o cinco e um, com as entradas de Fabíola e Andréia nos lugares de Sheilla e Dani Lins.

O Brasil reagiu graças ao bom desempenho nos contra-ataques, equilibrou a parcial, mas as norte-americanas foram superiores nos momentos de definição e venceram por 25/22 em um erro de saque de Natália.

As brasileiras tiveram um bom começo no terceiro set, fizeram 5/2, mas os Estados Unidos equilibraram o confronto graças ao seu desempenho no bloqueio. As brasileiras, porém, conseguiram seguir à frente do placar, foram ao segundo tempo técnico em vantagem e venceram a parcial por 25/22 com um ataque de Jaqueline.

Após um bom início do Brasil, o quarto set ficou disputado ponto a ponto. O Brasil foi ao segundo tempo técnico com a vantagem mínima - 16/15 -, mas, com bom desempenho no ataque, deslanchou no momento decisivo da parcial e a venceu até com certa tranquilidade por 25/19 em um ataque Thaísa.

Assim, a definição da partida ficou para o tie-break. E com bom desempenho no saque, o Brasil abriu uma vantagem confortável, de três pontos, ao fazer 8/5. Com isso, a equipe apenas precisou administrar a vantagem para fechar a parcial decisiva por 15/10, em um ataque de Sheilla, e o jogo por 3 sets a 2, assegurando a classificação antecipada às finais do Grand Prix.

Leia tudo sobre: voleiesportebrasilestados unidos