Doadores da campanha de Sapão são de ONG

O levantamento identificou 13 funcionários que trabalhavam na ONG e, ao mesmo tempo, no gabinete do vereador Sapão ou na Prefeitura de Betim

iG Minas Gerais | Lucas Pavanelli |

Procurada pela reportagem, a Prefeitura de Betim afirmou que “até o presente momento, a ONG não apresentou nenhuma irregularidade quanto à documentação ou prestação de contas”. Ainda de acordo com o Executivo, o estatuto e as atas de eleição da entidade “não listam qualquer ligação” com o vereador Sapão, o que seria proibido pela legislação. Embora o nome de Sapão não apareça como diretor da ONG, a perícia revelou ligação entre ele e a entidade.  

O levantamento identificou 13 funcionários que trabalhavam na ONG e, ao mesmo tempo, no gabinete do vereador Sapão ou na Prefeitura de Betim, o que é proibido por lei, já que funcionários em cargos de confiança não podem ter outro vínculo de trabalho, especialmente se for pago com verbas públicas.

Além disso, três conselheiros da entidade doaram cerca de R$ 1.000 em serviços para a campanha de Sapão à Câmara de Betim em 2012. Moradores da região costumam se referir à entidade como “ONG do Sapão”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave