As expectativas se renovam

Lateral tem sido um grande problema na atual temporada, com vários testes e nenhuma evolução

iG Minas Gerais | Fernando Almeida e Thiago Prata |

Confiante. Douglas Santos foi apresentado pelo diretor de futebol Eduardo Maluf e mostrou otimismo
DENILTON DIAS / O TEMPO
Confiante. Douglas Santos foi apresentado pelo diretor de futebol Eduardo Maluf e mostrou otimismo

Nas últimas décadas, todo lateral-esquerdo contratado pelo Atlético adentra a sala de entrevista coletiva do clube, pela primeira vez, como se andasse sobre um tapete vermelho. Isso porque cada novo atleta para o setor chega sob a expectativa de se tornar o homem que dará fim a um velho problema. Com Douglas Santos, apresentado nesta quinta, na Cidade do Galo, a cena se repete.

Desde que se desfez dos dois laterais-esquerdos do título da Copa Libertadores de 2013, o Atlético voltou a ser assombrado por um fantasma, que tanto atormentou o clube nas décadas de 90 e 2000. Ao decidir não renovar com o competente Junior Cesar e o esforçado Richarlyson, volante que atuava de forma improvisada na ala –, para este ano, o Galo passou maus bocados por aquele lado do campo.

Exceto pela garra e habilidade do meia Dátolo, que teve de jogar algumas vezes por ali, o time, seja com Emerson Conceição ou Alex Silva – lateral-direito de origem – parecia voltar no tempo, quando jogadores como Vicente, Rubens Cardoso, Rubens Júnior e Calisto – só para citar alguns – tiraram a torcida alvinegra do sério graças ao futebol insosso na maior parte de suas trajetórias na equipe mineira.

Com a vinda de Douglas Santos, renovam-se as esperanças de a lateral esquerda estar novamente representada à altura, como se deu com Paulo Roberto Prestes, Dedê, Felipe e outros. Só que ele terá de vencer a disputa com Pedro Botelho, que somente agora está tendo chances no time titular, após um longo de período no estaleiro e na reserva.

“Minhas características, desde o Náutico, são de marcar bem, fazer um bom apoio e cruzar bem. É fazer o meu melhor para suprir essa carência que estão falando”, disse Douglas, que está ansioso para estrear pelo Galo.

“Minha felicidade é enorme. Todo jogador quer jogar no Atlético, um clube grande, com uma grande torcida. Fui bem acolhido. Agora é ter tranquilidade para jogar no Brasil”, disse.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave