Tatuagem eletrônica gera energia a partir de suor e biobateria

Engenhoca produz o necessário para fazer funcionar pequenos objetos, como relógio

iG Minas Gerais | da redação |

A tatuagem, flexível e fina, detecta e responde ao lactato, um composto naturalmente presente no suor e que é um indicador importante de como você está se saindo durante os exercícios
Joseph Wang / UCSD
A tatuagem, flexível e fina, detecta e responde ao lactato, um composto naturalmente presente no suor e que é um indicador importante de como você está se saindo durante os exercícios

Cientistas desenvolveram uma bioteria que produz energia durante a atividade física. A engenhoca, semelhante ao mecanismo de uma tatuagem eletrônica, produz energia aproveitando o suor de uma pessoa quando ela se exercita, por meio de um sensor.

A tatuagem, fina e flexível, detecta e responde ao lactato, um composto naturalmente presente no suor. “O lactato é um indicador muito importante de como você está se saindo durante os exercícios”, explicou Wenzhao Jia, da Universidade da Califórnia em San Diego, nos Estados Unidos.

Existem exames para detectar o lactato, mas eles dependem da coleta de amostras de sangue e análise em laboratório. Jia desenvolveu uma técnica mais rápida e menos intrusiva, usando um sensor que contém uma enzima que arranca elétrons do lactato presente no suor, gerando uma pequena corrente elétrica.

Monitorando essa corrente elétrica com um circuito muito simples, a tatuagem eletrônica controla o rendimento do atleta em tempo real. Construir uma biobateria a partir daí foi um passo. O composto que contém a enzima que captura os elétrons do lactato funciona como anodo, enquanto o catodo foi adicionado na forma de uma molécula que aceita elétrons. De forma um tanto curiosa, os voluntários que normalmente se exercitavam menos produziram mais energia do que aqueles que frequentavam academias.

Os pesquisadores acreditam que isso provavelmente ocorre porque as pessoas menos treinadas cansam-se mais cedo, fazendo com que glicólise suba mais rapidamente, formando mais lactato. A tatuagem-bateria gerou um máximo de 70 microwatts por centímetro quadrado de pele, suficiente para alimentar aparelhos bem econômicos em termos de consumo de energia, como relógios de pulso.

Digital Tatoo também é usada para desbloquear tela de celular

Encontrar formas mais simples para desbloquear a tela de celulares parece a busca pelo Santo Graal das companhias de tecnologia. Para solucionar a questão, a start-up VivaLnk criou uma tatuagem eletrônica. A Digital Tattoo tem o tamanho de uma moeda de US$ 0,01 e é a primeira aplicação comercial da tecnologia eSkin, desenvolvida pelo Google. Atualmente, a tatuagem funciona apenas com o celular Moto X, mas a empresa está desenvolvendo sistemas compatíveis com outros aparelhos. Segundo a empresa, a Digital Tattoo permite “autenticação eletrônica para desbloquear o telefone para uso de forma ágil, fácil e segura”. Para o primeiro uso, é preciso ajustar a tatuagem com a senha. Depois, basta encostar a parte traseira do celular na tatuagem. A Digital Tattoo é um pequeno adesivo flexível com sensores capazes de se comunicar com outros aparelhos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave