TSE nega pedido de adiamento

PV havia solicitado que início do programa eleitoral atrasasse três dias em respeito à morte de Campos

iG Minas Gerais |

Data. Presidente do PV defende que propaganda gratuita na TV comece só na sexta, e não na terça
DENILTON DIAS / O TEMPO
Data. Presidente do PV defende que propaganda gratuita na TV comece só na sexta, e não na terça

Brasília. O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), José Antonio Dias Toffoli, rejeitou na noite desta quinta o pedido do PV e do candidato do partido ao Palácio do Planalto, Eduardo Jorge, para que fosse adiado por três dias o início do horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão. Os programas começarão a ser transmitidos no dia 19.

O PV e Jorge protocolaram o pedido após o acidente aéreo que matou o presidenciável do PSB, Eduardo Campos. Conforme o requerimento, o objetivo seria garantir à coligação que apoiava Eduardo Campos mais tempo e tranquilidade para organizar e adaptar os programas.

Em sua decisão, Toffoli disse que “não há como postergar o início da propaganda gratuita, pois a matéria é estabelecida em legislação eleitoral e não por ato de vontade da Justiça Eleitoral”.

Um pouco antes, o presidente do TSE havia explicado que se todos partidos que disputam a eleição presidencial fizessem esse tipo de pedido ele submeteria a análise do plenário do TSE, que é integrado por ele e outros seis ministros. Contudo, Toffoli ressaltou que a data das eleições não pode ser adiada sob hipótese alguma, pois é definida pela Constituição Federal.

Nesta quinta, tanto o PT quanto o PSDB – os dois principais partidos adversários do PSB de Campos na corrida eleitoral deste ano – anunciaram que vão dedicar parte de seus programas na televisão para prestar homenagem ao ex-governador de Pernambuco, morto em um acidente aéreo na quarta-feira.

A campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) ainda avalia de que forma a homenagem será feita: se haverá apenas uma referência ao socialista ou se haverá um depoimento da candidata ou do ex-presidente Lula.

Campos foi ministro de Ciência e Tecnologia no governo Lula e os dois tinham uma relação muito próxima. O petista dizia considerar o socialista como um filho. Depois, com o lançamento da candidatura de Campos contra Dilma, os dois se afastaram, mas o candidato do PSB poupava Lula de seus ataques. E o ex-presidente também evitava críticas mais duras a Campos, de olho em eventual apoio em um segundo turno.

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, avisou aliados e integrantes da coordenação de sua campanha que vai gravar uma homenagem a Eduardo Campos para exibir em seu primeiro programa da propaganda eleitoral gratuita.

Segundo pessoas ligadas à campanha do tucano, ele decidiu prestar o tributo a Campos no fim da noite de quarta-feira, horas depois da confirmação da morte do candidato socialista no acidente aéreo.

Gratuito

Previsão. A propaganda eleitoral gratuita em rádio e TV está prevista para começar a ir ao ar na próxima terça-feira, 19.

Sorteio.Pelo sorteio feito pelo TSE, a coligação de Eduardo Campos seria a primeira a exibir o vídeo de campanha, com 2 minutos e três segundos de duração.

Pedido. Segundo o presidente do TSE, ministro Dias Toffoli, o pedido isolado de adiamento feito pelo PV não deve prosperar no TSE, porque a data de início da transmissão dos programas eleitorais foi definida em lei.

Certo

PSB. Sem dar detalhes, o presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, garantiu nesta quinta que o primeiro programa do PSB na televisão será uma homenagem a Eduardo Campos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave