Passaportes que foram roubados já estão sendo entregues aos seus donos

Os 600 documentos foram roubados no último dia 30 de julho em Petrópolis, no Rio de Janeiro

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Crime. Carga levada pelos Correios foi interceptada em Petrópolis (RJ) e vinha para agência de BH
JOAO GODINHO / O TEMPO
Crime. Carga levada pelos Correios foi interceptada em Petrópolis (RJ) e vinha para agência de BH

Após o roubo de uma carga de 600 passaportes que viriam para Minas Gerais, no último dia 30 de julho, em Petrópolis, no Rio de Janeiro, os novos documentos que foram reimpressos já começaram a ser entregues para a população. A informação foi divulgada pela assessoria da Polícia Federal (PF). 

De acordo com a corporação, assim que souberam do roubo foi solicitado junto à Casa da Moeda do Brasil a remissão de todos os passaportes. Com isso, os documentos já estão sendo entregues, sendo que grande parte dos requerentes já estão com os documentos. Todas as pessoas que tiveram os documentos roubados foram comunicados dos novos prazos de entrega de seus documentos por meio de e-mail e telefone, "minimizando eventuais prejuízos", conforme a nota divulgada pela corporação.

Questionada sobre os rumos da investigação do roubo da carga, a PF informou apenas que não se pronuncia sobre investigações em curso em sede policial, principalmente por o inquérito tramitar no Rio de Janeiro. O empresário Tiago Fernandes, 37, foi quem denunciou o roubo das cadernetas ao jornal O TEMPO

Ele foi buscar o documento de sua filha de 1 ano no dia 5 de agosto, quando foi informado do problema. "Pouco tempo depois eles nos mandaram um e-mail avisando que tinha sido furtado e que o novo documento já estava sendo distribuído. Na última quinta-feira (7) avisaram que demoraria 24h para ficar pronto e, nesta segunda-feira (11), buscamos o passaporte dela", declarou. 

O documento da filha é diferente do pai, já vem com um chip. "Eles validaram o passaporte na hora, registram o número e eu tinha que conferir os dados. Eles não falam, mas estava vendo algumas coisas e vi que esses passaportes são vendidos para fora do país, para se passarem por brasileiros. No caso do da minha filha, poderia ser usado para o tráfico de crianças, mas tomara que não seja assim", afirmou o empresário. 

Relembre

Os 600 passaportes foram impressos na Casa da Moeda do Brasil, no Rio de Janeiro. No meio do trajeto para a capital mineira, na BR-040, na altura de Petrópolis, o veículo dos Correios foi interceptado por bandidos que levaram toda a carga. Os documentos já continham dados dos requerentes, como nome e foto, e eram numerados. O lote foi cancelado no sistema da corporação e uma nova remessa de cadernetas foi solicitada.

De acordo com a PF, o material furtado não poderá ser usado pelos criminosos porque os passaportes não têm valor documental. As cadernetas ainda precisariam ser validadas no sistema da PF no momento da entrega ao requerente, mediante conferência dos dados biométricos – por verificação de impressão digital.

Em entrevista, um funcionário da Delegacia de Imigração da corporação informou acreditar que o uso dos Correios é uma opção logística. “Todo dia, chega carregamento de passaporte. Colocar viatura com policiais para fazer o transporte não daria certo. Uma empresa credenciada é melhor”, afirmou, sob anonimato.