Em coletiva, ocupações apresentam propostas de negociação do conflito

Objetivo é conciliar as ocupações com as construções programadas para o terrenho da mata do Isidoro

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Cidades - Moradores das ocupacoes Rosa Leao , Vitoria e Esperanca , na regiao da Granja Werneck , zona norte de Belo Horizonte MG , vive em clima tenso , ao mesmo tempo , assustados e desconfiados , na ultima semana contra o despejo das familias que vivem nas ocupacoes da regiao conhecida como
ALEX DE JESUS/O TEMPO
Cidades - Moradores das ocupacoes Rosa Leao , Vitoria e Esperanca , na regiao da Granja Werneck , zona norte de Belo Horizonte MG , vive em clima tenso , ao mesmo tempo , assustados e desconfiados , na ultima semana contra o despejo das familias que vivem nas ocupacoes da regiao conhecida como " Mata do Isidoro ".Cidades - Moradores das ocupacoes Rosa Leao , Vitoria e Esperanca , na regiao da Granja Werneck , zona norte de Belo Horizonte MG , vive em clima tenso , ao mesmo tempo , assustados e desconfiados , na ultima semana contra o despejo das familias que vivem nas ocupacoes da regiao conhecida como " Mata do Isidoro ". Na foto: Alex de Jesus/O Tempo Cidades - Moradores das ocupacoes Rosa Leao , Vitoria e Esperanca , na regiao da Granja Werneck , zona norte de Belo Horizonte MG , vive em clima tenso , ao mesmo tempo , assustados e desconfiados , na ultima semana contra o despejo das familias que vivem nas ocupacoes da regiao conhecida como " Mata do Isidoro ". Foto: Alex de Jesus/O Tempo

Após a cassação da liminar que suspendia o despejo das três ocupações da mata do Isidoro, na Granja Werneck, na região Norte de Belo Horizonte, representantes dos moradores fizeram uma coletiva de imprensa em frente ao Palácio da Justiça, no Centro da capital, nesta quinta-feira (14). Foram apresentaram propostas para conciliar as ocupações com as construções programadas para o terreno.

Participaram da coletiva o frei Gilvander, que é um  dos representantes dos moradores, alguns membros da ocupação e líderes do  Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB). Segundo eles, aconteceu na manhã desta quinta uma reunião com líderes das ocupações e a procuradora Gisele Potério Saldanha, no Ministério Público (MP).

Lá foram definidas algumas propostas a serem apresentadas para os proprietários dos terrenos alvo da reintegração de posse. "A primeira das propostas é que queremos conciliar as ocupações com as construções a serem feitas no local. Mas, para isso, precisamos que seja apresentada a planta de implantação e situação do empreendimento e a operação urbana consorciada o mais rápido possível. Assim saberemos a área do empreendimento que está ocupada e poderemos avaliar a possibilidade de realocar as famílias para a liberação da área", informou o frei.

Ainda durante a entrevista, as ocupações informaram que esta primeira proposta já está sendo negociada com os proprietários dos terrenos, sendo que a Prefeitura de Belo Horizonte e um dos donos identificado como Paulo Henrique estão inflexíveis. "Já a Granja Werneck S.A. e a Ângela Wernerck se mostraram sensíveis às ocupações", garantiu Gilvander.

A segunda proposta dos ocupantes é que a Granja e a Ângela peçam a suspensão da reintegração de posse para que eles tenham um prazo razoável para a realocação das famílias. A terceira é que as famílias das áreas dos empreendimentos tenham o direito de permanecer na área o tempo necessário para ter acesso ao programa Minha Casa, Minha Vida.

Governador

A quarta proposta dos moradores é que o governador Alberto Pinto Coelho se comprometa a não cumprir o despejo antes da efetivação da negociação. "Estava com o dom Walmor quando suspenderam a liminar. O arcebispo está sensível à situação das ocupações e procurou o governador, mas só conseguiu falar com o Secretário de Estado de Governo de Minas Gerais, Danilo de Castro", informou o frei Gilvander.

Ainda conforme ele, nesta quinta o secretário teria retornado a ligação informando que conversou com Alberto Pinto Coelho, que garantiu que não haverá reintegração de posse nos próximos dias, enquanto houver a negociação. Além disso, um auxiliar o arcebisto teria se comprometido a realizar uma missa em cada ocupação nesta sexta-feira (15) e no sábado (16).