Quatro pessoas foram condenadas pela explosão de caixa eletrônico

Durante o crime, os criminosos levaram 130 mil reais, além de causar a morte de um médico durante troca de tiros.

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Tiago Neves Rodrigues, de 24 anos, Luiz Eduardo de Freitas Oliveira, 19 anos, Anna Victória Rezende Siquieroli, de 20 anos e Rhanyere Campelo Costa, sem idade divulgada, foram condenados pela explosão de um caixa eletrônico da Caixa Econômica Federal durante um assalto em Uberlândia, no triângulo mineiro. A decisão foi publicada nesta quarta-feira (13) pelo Ministério Público Federal em Minas Gerais.

Tiago e Luiz foram condenados de participar do assalto, Rjanyere era o fornecedor de explosivos do grupo e Anna Victoria não participou diretamente da ação, mas ocultou o dinheiro roubado em casa. 

O crime, que foi classificado como furto qualificado, ocorreu no dia 18 de julho de 2013 em uma agência localizada no centro da cidade. Usando explosivos ilegalmente, os acusados derrubaram a porta frontal da agência, despedaçaram o guichê eletrônico, estilhaçaram várias vidraças, deslocaram as portas giratórias, perfuraram uma das paredes de alvenaria, derrubaram o teto e transformaram um dos cofres num amontoado de ferro e peças retorcidas.

Ação resultou ainda na morte o médico Marcus Vinícius Galante Buissa, de 52 anos, que, alarmado pelo barulho e pensando tratar-se de um acidente, correu ao local para socorrer vítimas, mas foi atingido durante a troca de tiros dos criminosos com a polícia. Segundo a denúncia do Ministério Público Federal, os acusados fugiram com mais de R$ 130 mil retirados da agência.

Oito dias depois da fuga, uma denúncia anônima levou à prisão de Luiz Eduardo e sua namorada, Anna Victória, que acabaram confessando durante o interrogatório policial e apontaram os demais envolvidos. Um deles, Maike Otoniel de Oliveira Costa, foi morto a tiros em novembro do ano passado. Tiago Neves Rodrigues é considerado o líder da ação criminosa e, segundo as investigações, fornecedor dos explosivos é Rhanyere Campelo Costa.

Tiago foi condenado a 7 anos de prisão, em regime fechado. Rhanyere recebeu pena de 5 anos e Luiz Eduardo, pena de 4 anos e 2 meses, ambas em regime semiaberto. Anna Victória foi condenada pelo crime de favorecimento real, por ter escondido o valor roubado, e recebeu pena de um mês de detenção,  que foi substituída por prestação de serviços à comunidade por, no mínimo, 4 horas semanais durante 30 dias.

Com informações do MPF.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave