Walewska será nome referência na temporada para Camponesa-Minas

Experiente atleta que conquistou medalha olímpica em Pequim será "centro das atenções" do grupo de Marco Queiroga

iG Minas Gerais | DÉBORA FERREIRA |

Esportes - Belo Horizonte - MG
Apresentacao do time feminino de volei do Minas

Na foto: Tecnico Marco Queiroga e Walewska

FOTO: FERNANDA CARVALHO / O TEMPO - 14.08.2014
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Esportes - Belo Horizonte - MG Apresentacao do time feminino de volei do Minas Na foto: Tecnico Marco Queiroga e Walewska FOTO: FERNANDA CARVALHO / O TEMPO - 14.08.2014

De volta ao clube que a projetou para o voleibol, Walewska está em casa de novo. Depois de defender o extinto Vôlei Amil-SP na última temporada, a experiente jogadora, de 34 anos, volta às origens para ser a referência de um grupo ainda em formação, mas que promete lutar de igual para o igual com times tradicionais como Unilever-RJ, Sesi-SP e Molico-Nestlé-SP.

O primeiro desafio da central, que tem vasta experiência na seleção brasileira, já será na disputa do Campeonato Mineiro, ainda sem data para acontecer. E o maior adversário é o Banana Boat-Praia Clube, de Uberlândia, que se reforçou bem e entra para brigar até por título da Superliga.

“A gente ainda não fechou o time, estamos esperando alguns reforços, mas acho que é importante já começar a briga no Mineiro para tentar fazer um bom campeonato, para que na Superliga a gente já esteja melhor preparado”, destacou a jogadora.

Sua presença no grupo dá novos ânimos ao técnico Marco Queiroga, o mesmo que comandou a equipe na última temporada. Com Walewska, ele espera que o time tenha uma postura que não conseguiu da outra vez, em vista de sua pouca experiência.

“O time ano passado lutou muito, mas ele não tinha referência, não tinha jogadoras experientes e nas oportunidades que tivemos, deixamos de pontuar, de ter resultados que poderiam ter nos levado até mesmo aos play-offs. Agora é outro momento, em que temos dois patrocinadores novos, um momento com uma jogadora de altíssimo nível que vai ser uma referência para todo o clube, não só pra equipe como um todo”, afirmou Queiroga.

Ciente do peso que terá, a central espera não só passar todo o seu conhecimento e vivência em outros ligas pelo mundo afora, mas também aprender com quem já está no clube há mais tempo e começa a aparecer no cenário nacional.

“Eu espero trazer profissionalismo. Já vivi em outros países e aprendi em outros lugares. Essa troca é muito importante, das mais experientes com as mais novas. Eu vou aprender também com elas no dia a dia, tenho muita coisa a ensinar eu vejo que ela tem esse interesse de aprender, de vivenciar. Essa troca está sendo muito saudável”, explicou.