Bandeira de Mello rebate ex-presidentes do Flamengo

Presidente ironizou os comentários e se declarou disposto a apresentar os números para os adversários políticos, além de se declarar transparente

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

A crise política no Flamengo ganhou mais um capítulo nesta quinta-feira. Um dia após um grupo de ex-presidentes do clube divulgar uma carta aberta em que criticavam a administração de Eduardo Bandeira de Mello e se diziam preocupados com a situação do clube, o atual mandatário utilizou o mesmo método para atacar os seus opositores.

Inicialmente, ele acusou Helio Ferraz, Antonio Augusto Dunshee de Abranches, Gilberto Cardoso e Marcio Braga de terem realizado uma ação meramente política. "Me surpreendeu a iniciativa de mandar um documento escrito, visto que a porta de minha presidência sempre esteve aberta a recebê-los. De qualquer maneira, entendo o aspecto político do gesto", disse.

Em sua carta, os ex-presidentes atacaram o discurso de austeridade financeira de Bandeira de Mello e disseram temer um possível rebaixamento do Flamengo no Campeonato Brasileiro - no momento, o time ocupa a 19ª colocação. O presidente, então, ironizou os comentários e se declarou disposto a apresentar os números para os adversários políticos, além de se declarar transparente.

"Trata-se de uma análise superficial dos números que não leva em consideração diversos fatores econômicos, impostos e despesas oriundas do passado. Nossa equipe financeira poderá fazer todas as explanações necessárias e esclarecer qualquer dúvida que possa ocorrer. Felizmente, temos hoje no Flamengo um controle bastante rígido das finanças do Clube e um nível de transparência amplamente reconhecido e premiado", afirmou.

Além disso, Bandeira de Mello garantiu que o time vai reagir em campo sem a necessidade de realizar altos investimentos. "Da minha parte, como atual presidente do Flamengo, tenho total convicção que nosso time sairá logo desta incômoda posição, sem que tenhamos que tomar nenhuma medida financeira irresponsável e que possa colocar o Flamengo novamente como devedor perante a legislação fiscal de nosso País", escreveu, lembrando, em seguida, das recentes conquistas do time.

"O futebol do Flamengo, durante o pouco mais de um ano e meio de nossa administração, é hoje o atual campeão da Copa do Brasil, o atual campeão da Taça Guanabara e o atual campeão do Campeonato Carioca. Títulos estes conseguidos mesmo com o Clube vivendo uma situação financeira de muita dificuldade, fruto de um passado em que não se pagavam dívidas, salários e impostos, além de se gastar muito mais do que podia", disse.

Assim, o presidente encerrou a sua carta declarando estar disponível para conversas, cobrando união em prol do Flamengo. "Senhores ex-presidentes, continuo aberto ao diálogo com todos os rubro-negros. O momento é de muito trabalho e união. O Flamengo é maior do que todos", concluiu Bandeira de Mello.

Leia tudo sobre: futebolesporteflamengobandeira de mellopresidente