Polícia Civil diz que prioridade é identificar corpos

A previsão dele é que a liberação seja feita em dois a três dias, de acordo com a autoridade policial

iG Minas Gerais | Da Redação |

undefined
O delegado da Polícia Civil e diretor da Deinter-6, Aldo Galiano disse nesta quinta-feira, 14, que a prioridade da corporação é identificar os corpos das sete vítimas do acidente aéreo em Santos para liberá-los para as famílias. "A Polícia Civil está mais preocupada em liberar os corpos para as famílias", disse, durante entrevista a jornalistas no local do acidente.  A previsão dele é que a liberação seja feita em dois a três dias. Esse prazo, no entanto, depende do tempo que o material genético dos parentes das vítimas vai demorar para chegar às mãos da perícia. Galiano informou que mais restos de corpos foram encontrados hoje. Eles serão levados para São Paulo, onde está ocorrendo a identificação.  O delegado informou, ainda, que o inquérito da Polícia Civil foi instaurado no 7º Distrito Policial. Mas afirmou que, por conta de nova legislação, o processo poderá ser transferido para a seccional de Santos. A investigação das causas do acidente que matou o candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, e mais seis pessoas está a cargo da Aeronáutica. Ele explicou que a Polícia Civil tem 30 dias para concluir o inquérito. Caso a corporação necessite de mais tempo, será feito um pedido à Justiça.  O delegado disse que a investigação da Polícia Civil vai apurar eventual negligência, imperícia ou imprudência. "Isso pode envolver desde o piloto a problemas de manutenção e defeitos na aeronave."

Leia tudo sobre: eleiçãoeleiçõesacidenteeduardo camposmortesantosaviãoaeronavequeda