MST diz ter perdido "um amigo" e "grande apoiador" da luta pela terra

"Em muitos momentos, o jovem político agiu com ousadia e coragem a favor da luta dos sem-terra contra o latifúndio pernambucano" mostra trecho

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Ao manifestar pesar pela morte de Eduardo Campos, a direção nacional do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) afirmou que os sem-terra perderam "um amigo e grande apoiador da luta pela terra e pela transformação social no país".

Para os sem-terra, Campos "agiu com ousadia e coragem contra o latifúndio".

A nota do MST, publicada no site da organização, diz que o apoio de Campos à luta pela terra e pela reforma agrária "o fez ganhar notável confiança dos trabalhadores rurais do Estado de Pernambuco".

"Em muitos momentos, o jovem político agiu com ousadia e coragem a favor da luta dos sem-terra contra o latifúndio pernambucano, desapropriando áreas históricas reivindicadas pelo MST", diz a manifestação.

Para o MST, a morte de Campos é uma "grande perda" para a política brasileira e para o país, porque ele lutava por um Brasil "mais justo".

Leia a íntegra da nota do MST:

"É com muito pesar que recebemos a notícia da morte do ex-governador e candidato à presidência da República, Eduardo Campos.

Campos foi um grande amigo do MST e apoiador da luta pela terra e pela Reforma Agrária, fato que o fez ganhar notável confiança dos trabalhadores rurais do estado de Pernambuco.

Em muitos momentos, o jovem político agiu com ousadia e coragem a favor da luta dos Sem Terra contra o latifúndio pernambucano, desapropriando áreas históricas reivindicadas pelo MST.

Conhecia a questão agrária brasileira, e como candidato à presidência, tinha clareza da necessidade de resolver o problema da concentração da terra no Brasil e os males causados pelo latifúndio.

Comprometeu-se com o projeto de desenvolvimento sustentável para o semiárido brasileiro e com a proposta de desenvolvimento da região canavieira do nordeste, uma das regiões mais pobres e com maior concentração de terra do Brasil, em consequência da monocultura canavieira.

Sem dúvida, sua morte prematura é uma grande perda para a política nacional, e os Sem Terra perdem um amigo e grande apoiador da luta pela terra e pela transformação social no país. O povo brasileiro também perde um político jovem e comprometido com as causas de um país mais justo. Nosso pesar aos familiares e amigos, ao PSB e ao povo pernambucano."

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave