Eduardo Campos era pai de cinco e torcedor fanático do Náutico

Renata, sua mulher, sempre foi considerada por muitos como a maior influência do ex-governador de Pernambuco

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

POLITICA - Eduardo Campos e Marina Silva participam do Encontro dos Presidenciáveis com a Confederação Nacional da Agricultura (CNA) em Brasília....FOTO:PSB/DIVULGACAO - 06.08.2014
POLITICA - Eduardo Campos e Marina Silva participam do Encontro dos Presidenciáveis com a Confederação Nacional da Agricultura (CNA) em Brasília....FOTO:PSB/DIVULGACAO - 06.08.2014

Eduardo Henrique Accioly Campos havia, no último domino (10), comemorado seu aniversário de 49 anos junto de sua família, amigos, políticos aliados e sua equipe de campanha, em Recife.

Pai de cinco filhos - Maria Eduarda, João, Pedro, José Henrique e o mais novo, Miguel, nascido em janeiro deste ano - era casado com a auditora do Tribunal de Contas do Estado, Renata de Andrade Lima Campos, de 47 anos.

Renata sempre foi considerada por muitos como a maior influência do ex-governador de Pernambuco. Ela participava de todas as decisões que envolviam Campos, desde a escolha de jingles, alianças políticas e ações de governo.

Torcedor fanático do Clube Náutico Capibaribe, Campos era comumente visto na arquibancada do estádio dos Aflitos e da Arena Pernambuco durante jogos do clube.

Nascido no Recife, capital pernambucana, Eduardo Campos era filho do poeta e cronista Maximiano Campos (1941– 1998) com a ex-deputada federal e atual ministra do Tribunal de Contas da União Ana Arraes (1947). É neto de Miguel Arraes (1916–2005), ex-governador de Pernambuco, e que, coincidentemente, também morreu em um 13 de agosto.

Na política

Sua trajetória política começou com 20 anos, quando tornou-se presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de Economia. Um ano depois, ele participava da campanha do avô Miguel Arraes ao governo do Estado. Com a eleição de Arraes, Campos virou chefe de gabinete no Palácio das Princesas.

A filiação ao Partido Socialista Brasileiro (PSB) se deu em 1990. Naquele mesmo ano, o agora presidenciável foi eleito pela primeira vez para o cargo de deputado estadual em Pernambuco. Quatro anos depois, Eduardo Campos trocou Recife por Brasília. Em 1994, ele obteve 133 mil votos e foi eleito deputado federal pela primeira vez.

Mas a estadia na capital federal durou pouco, já que em 1995 ele se tornava secretário de governo de Arraes. No ano seguinte, passou a ser secretário de Fazenda da mesma gestão.

Com presença marcante no Estado, conseguiu ampliar sua votação e ser reeleito para o cargo de deputado federal em 1998, quando somou 173 mil votos. A trajetória em Brasília continuaria em 2002, quando recebeu da população sue terceiro mandato na Câmara Federal.

Cada vez mais próximo de Lula, Eduardo Campos foi convidado a assumir o Ministério da Ciência e Tecnologia em 2004. No ano seguinte, assumiu a presidência nacional do PSB.

A carreira política deslanchou mesmo em 2006, quando, em segundo turno, oi eleito governador de Pernambuco. Quatro anos depois, foi reeleito, agora com mais facilidade, em primeiro turno, somando 80% dos votos válidos.

Agora, em 2014, após romper com Lula e o PT, Eduardo Campos era candidato a Presidência da República pelo PSB.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave