Alça norte do viaduto amanhece pichada apesar de interdição da área

"A culpa é de quem?", questionava a pichação feita durante a madrugada desta quarta-feira (13)

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Cidades - Belo Horizonte / MINAS GERAIS / BRASIL
Viaduto Pedro I que desabou, esta com pixacaoes.

Foto: Uarlen Valerio / O Tempo 13-08-2014
Uarlen Valério
Cidades - Belo Horizonte / MINAS GERAIS / BRASIL Viaduto Pedro I que desabou, esta com pixacaoes. Foto: Uarlen Valerio / O Tempo 13-08-2014

A alça norte do viaduto Batalha dos Guararapes, na avenida Pedro I, na altura do bairro São João Batista, na região de Venda Nova, que foi alvo de liminar da Justiça que impede sua demolição, amanheceu pichada nesta quarta-feira (13). O local está interditado uma vez que, segundo relatório feito pela construtora Cowan, corre risco de desabar por ter sido construído nos mesmos moldes da alça que caiu. 

A ação dos vândalos coloca em cheque a segurança da interdição feita pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), já que, para escrever no local, os pichadores precisaram subir na estrutura do viaduto, que pode cair a qualquer momento. Citando uma música da banda Planet Hemp, "A culpa é de quem?", os vândalos brincam com a situação de até hoje um responsável pela tragédia que matou duas pessoas ainda não ter sido apontado.

A auxiliar administrativo Karina Angelino, de 22 anos, trabalha bem próximo ao local do acidente. "Tem uns tapumes que tampam a visão para o viaduto e quem está a pé passa por uma espécie de contorno que fizeram para os pedestres. A questão é que o tapume não é muito alto, qualquer um consegue pular", afirmou. Segundo ela, durante a noite o local fica deserto. 

Resposta

Questionada sobre a segurança da interdição feita no local, a assessoria da PBH encaminhou uma nota falando sobre a liminar que impediu a demolição da alça que corre o risco de cair. Veja o texto na íntegra.

"A Prefeitura de Belo Horizonte recebeu na tarde desta terça-feira a notificação do Ministério Público com relação à demolição da alça Norte do viaduto Guararapes e, por meio da Procuradoria do Município, irá fazer a análise da liminar expedida. A Prefeitura esclarece que também aguarda a conclusão do laudo da Perícia Técnica da Polícia Civil para tomar qualquer decisão com relação a esta questão e ressalta que desde o desastre ocorrido no dia 03 de julho vem adotando as seguintes providências:

1)    Realizou por meio de assistentes sociais o cadastro de todas as famílias dos edifícios Antares e Savana, situados no entorno do viaduto;

2)    Foi enviado à comissão de moradores os documentos referentes ao monitoramento solicitados à  Defesa Civil, sendo que estes documentos foram recebidos com a assinatura da representante legal dos moradores;

3)    Foi formalizado um termo de compromisso das providências que estavam sendo tomadas perante a comissão de representantes dos moradores, sendo que o referido documento foi assinado por todos eles;

4)    A prioridade das ações do Poder Público, desde a ocorrência do desastre, foi estabelecer a garantia da integridade e segurança dos moradores, bem como dos comerciantes do entorno;

5) Para diminuir o desconforto causado pelo barulho, tremores e poeira decorrentes da demolição da alça sul, foram utilizadas as tecnologias de menor impacto possível, sendo mantidos vistoriadores no interior dos condomínios para acompanhamento de todas as atividades, com vista à orientação dos moradores e realização de vistorias de riscos.

6) A Defesa Civil manteve posto de comando 24 horas por dia no local, com fácil acesso e disponível a todos os moradores dos condomínios, com o objetivo de informá-los, atender suas demandas e vistoriar os apartamentos mediante solicitação das famílias.

7)    Equipes da Defesa Civil realizam visitas diárias na área do entorno do Viaduto Guararapes, bem como acompanharam as vistorias cautelares em todos os apartamentos dos edifícios Antares e Savana com o objetivo de preservar o interesse e a segurança dos moradores;

8)  Após a divulgação do laudo pericial contratado pela empresa Cowan atestando o perigo de queda da alça norte, cada apartamento dos edifícios Antares e Savana recebeu folhetos com informações claras e objetivas sobre a assistência que estava sendo colocada à disposição dos moradores, inclusive a disponibilização de um número de telefone exclusivo/24 horas para atendimento imediato das famílias;

9) Foram realizadas diversas reuniões com os moradores dos edifícios Antares e Savana para orientação e informação sobre o andamento das operações e esclarecimentos quanto à atuação dos assistentes sociais e psicólogos junto aos moradores;

10)    As ações demandadas pelos comerciantes do entorno do viaduto Guararapes têm sido encaminhadas pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico com o objetivo de tentar reduzir os prejuízos econômicos inerentes ao desastre;

11)    Os moradores que optaram em se transferir provisoriamente para um hotel foram prontamente atendidos e estão tendo o acompanhamento e a assistência de equipes da Prefeitura de Belo Horizonte, que procuram oferecer a todos o máximo de conforto e tranquilidade;

12) A Prefeitura está realizando todos os esforços para solucionar os problemas decorrentes do desastre, buscando sempre a prevenção de desastres secundários, a diminuição de prejuízos econômicos e sociais, consciente da necessidade do restabelecimento das condições de normalidade local o mais rápido possível"