Entenda o que acontece com a candidatura ao Planalto do PSB

Marina Silva é apontada por setores e políticos como a sucessora natural da corrida ao posto, mas, de acordo com a legislação eleitoral, é possível que outros nomes apareçam

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

undefined

A morte do candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, na manhã desta quarta-feira (13), elevou dúvidas e questionamentos de eleitores sobre a continuidade da campanha.

De acordo com a legislação eleitoral, o PSB terá preferência na indicação do novo nome, mas ele poderá abrir mão e integrantes dos demais partidos da coligação (PHS, PRP, PPS, PPL, PSL) também podem assumir a candidatura.

Apesar de ter se registrado como candidata à vice-presidente, Marina Silva poderá abrir mão dessa candidatura e assumir a campanha presidencial caso esta seja a vontade da coligação.

Para a substituição não é necessária a realização de uma nova convenção partidária. A escolha do novo nome pode ser tomada em reunião por maioria absoluta das executivas dos partidos que compões a coligação.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave