Tarcísio Delgado se diz 'perplexo e traumatizado' com morte de Campos

Candidato ao governo de Minas era do mesmo partido do pernambucano, que morreu na manhã desta quarta-feira (13) após seu avião cair

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Em 2014 deixou o PMDB, ingressou no PSB e foi escolhido candidato do partido
Ascom/ALMG
Em 2014 deixou o PMDB, ingressou no PSB e foi escolhido candidato do partido

O candidato ao governo de Minas pelo PSB, Tarcísio Delgado, afirmou estar 'perplexo e traumatizado' com a notícia da morte de Eduardo Campos. O socialista, emocionado, afirmou que o pesar, no momento, é a única declaração a se fazer.

"Estamos todos perplexos e traumatizados com a notícia. É a única coisa que dá pra dizer agora, estamos todos traumatizados", disse.

A aeronave de Eduardo Campos caiu em uma casa em uma casa na cidade de Santos, no litoral paulista. Ela havia decolado do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao aeroporto de Guarujá (SP). Quando se preparava para o pouso, o avião arremeteu devido ao mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave.

Trajetória

Sua trajetória política começou com 20 anos, quando tornou-se presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de Economia. Um ano depois, ele participava da campanha do avô Miguel Arraes ao governo do Estado. Com a eleição de Arraes, Campos virou chefe de gabinete no Palácio das Princesas.

A filiação ao Partido Socialista Brasileiro (PSB) se deu em 1990. Naquele mesmo ano, o agora presidenciável foi eleito pela primeira vez para o cargo de deputado estadual em Pernambuco. Quatro anos depois, Eduardo Campos trocou Recife por Brasília. Em 1994, ele obteve 133 mil votos e foi eleito deputado federal pela primeira vez.

Mas a estadia na capital federal durou pouco, já que em 1995 ele se tornava secretário de governo de Arraes. No ano seguinte, passou a ser secretário de Fazenda da mesma gestão.

Com presença marcante no Estado, conseguiu ampliar sua votação e ser reeleito para o cargo de deputado federal em 1998, quando somou 173 mil votos. A trajetória em Brasília continuaria em 2002, quando recebeu da população sue terceiro mandato na Câmara Federal.

Cada vez mais próximo de Lula, Eduardo Campos foi convidado a assumir o Ministério da Ciência e Tecnologia em 2004. No ano seguinte, assumiu a presidência nacional do PSB.

A carreira política deslanchou mesmo em 2006, quando, em segundo turno, oi eleito governador de Pernambuco. Quatro anos depois, foi reeleito, agora com mais facilidade, em primeiro turno, somando 80% dos votos válidos.

Agora, em 2014, após romper com Lula e o PT, Eduardo Campos era candidato a Presidência da República pelo PSB.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave