Morre candidato à presidência Eduardo Campos

A aeronave em que o político estava arremeteu devido ao mau tempo; Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

PSB/Divulgação
undefined

Morre o candidato à presidência, Eduardo Campos. O político estava no avião que cai nesta quarta-feira (13) na cidade de Santos, em São Paulo. A informação foi confirmada por Julio Delgado.

De acordo com o Comando da Aeronáutica, a aeronave, que caiu em uma casa na altura do número 50 da Rua Vahia de Abreu, 50, na esquina com a Rua Alexandre Herculano, no bairro do Boqueirão, é um Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, que decolou do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao aeroporto de Guarujá (SP). Quando se preparava para o pouso, o avião arremeteu devido ao mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave.

Trajetória

Sua trajetória política começou com 20 anos, quando tornou-se presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de Economia. Um ano depois, ele participava da campanha do avô Miguel Arraes ao governo do Estado. Com a eleição de Arraes, Campos virou chefe de gabinete no Palácio das Princesas.

A filiação ao Partido Socialista Brasileiro (PSB) se deu em 1990. Naquele mesmo ano, o agora presidenciável foi eleito pela primeira vez para o cargo de deputado estadual em Pernambuco.

Quatro anos depois, Eduardo Campos trocou Recife por Brasília. Em 1994, ele obteve 133 mil votos e foi eleito deputado federal pela primeira vez. Mas a estadia na capital federal durou pouco, já que em 1995 ele se tornava secretário de governo de Arraes. No ano seguinte, passou a ser secretário de Fazenda da mesma gestão.

Com presença marcante no Estado, conseguiu ampliar sua votação e ser reeleito para o cargo de deputado federal em 1998, quando somou 173 mil votos. A trajetória em Brasília continuaria em 2002, quando recebeu da população sue terceiro mandato na Câmara Federal. Cada vez mais próximo de Lula, Eduardo Campos foi convidado a assumir o Ministério da Ciência e Tecnologia em 2004. No ano seguinte, assumiu a presidência nacional do PSB.

A carreira política deslanchou mesmo em 2006, quando, em segundo turno, oi eleito governador de Pernambuco. Quatro anos depois, foi reeleito, agora com mais facilidade, em primeiro turno, somando 80% dos votos válidos.

Agora, em 2014, após romper com Lula e o PT, Eduardo Campos era candidato a Presidência da República pelo PSB.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave