Mais pobres votam em Dilma, mais ricos vão de Aécio

Tucano também é favorito dos que têm mais escolaridade

iG Minas Gerais | Larissa Arantes e Lucas Pavanelli |

Cientista político, Moisés Augusto avalia que cenário é previsível
Arquivo pessoal
Cientista político, Moisés Augusto avalia que cenário é previsível

As diferenças de renda e escolaridade são fatores diretamente ligados ao voto do mineiro para presidente da República. Análise detalhada da pesquisa DataTempo/CP2 mostra que Dilma Rousseff (PT) derrota o senador tucano Aécio Neves na faixa que recebe até dois salários mínimos e com até a 4ª série completa. O tucano leva a melhor entre os eleitores com maiores salários e com melhor formação escolar, com ensino superior completo ou incompleto.

Os dados mostram ainda que o ex-governador de Pernambuco e presidenciável, Eduardo Campos (PSB), não ultrapassa os 7% nesses dois recortes em Minas Gerais, mas seus maiores índices são conquistados entre os eleitores com 2º grau completo e com renda entre cinco e dez salários. O cientista político da PUC Minas Moisés Augusto Gonçalves avalia que esse é um cenário esperado, mas chama a atenção para a renda dos entrevistados com até dez salários mínimos. “São pessoas assalariadas. Não é a elite, a nata, é a classe média alta. E, nesse segmento, a ideologia de centro-direita sempre falou mais forte”, explicou. A avaliação do governo da presidente Dilma segue a mesma lógica da intenção de votos. Do total dos eleitores entrevistados com até a 4ª série, 45,7% aprovam o mandato da petista. Já quem tem ensino superior (completo ou incompleto) é bem mais crítico: apenas 22,8% avaliam bem sua gestão. No geral, a presidente tem aprovação de 32% no Estado. Local. Na disputa estadual, os números variam pouco em relação aos candidatos ao governo de Minas Fernando Pimentel (PT), Pimenta da Veiga (PSDB) e Tarcísio Delgado (PSB)<HY1,2><IP0>. Por hora, ainda não há diferenças significativas de intenção de votos no que diz respeito a renda e escolaridade. Segundo o cientista político da Universidade Federal de Juiz de Fora Paulo Roberto Leal, na briga pelo Palácio Tiradentes os dois quesitos não são decisivos. “Parte do eleitorado toma decisão a partir do que o governo federal faz. A dimensão econômica, principalmente, tem peso maior na disputa nacional”, avaliou o professor. Já Gonçalves destaca ainda uma característica comum aos dois principais candidatos – Pimenta e Pimentel – que pode explicar a pouca oscilação dos números. “Ambos têm um perfil muito aproximado”, concluiu. 

Registro Oficial. A pesquisa DataTempo/CP2 entrevistou 1.827 eleitores de Minas Gerais entre os dias 31 de julho e 4 de agosto. O número de registro na Justiça Eleitoral é BR-00290/2014. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave