Usiminas vai aumentar o foco no mercado internacional

Com as vendas internas 6% mais baixas no acumulano ano, a saída para as siderúrgicas brasileiras seria o mercado externo

iG Minas Gerais | Juliana Gontijo |

São Paulo. A participação do mercado internacional vai aumentar nos negócios da Usiminas, segundo o presidente da empresa, Julián Eguren, nesta terça, em São Paulo, no 25º Congresso Brasileiro do Aço. Não é para menos, já que as vendas internas do setor, conforme o Instituto Brasileiro do Aço, foram 6% menores no acumulado do ano até julho frente o mesmo período de 2013. E a previsão para este ano é de recuo de 4,9%.  

De acordo com ele, o mercado doméstico já foi destino de cerca de 90% das vendas da empresa. No terceiro trimestre de 2014, deve passar para 78% a 75%. “O restante vai para as exportações”, diz. De abril a julho deste ano, 85% da produção da empresa foi para mercado doméstico.

O executivo ressaltou que por conta da aliança com a Ternium, a companhia possui oportunidades para exportação, como Colômbia, Equador e Peru. Julián Eguren disse que o segundo semestre não deve ser muito diferente dos primeiros seis meses deste ano, no que que se refere à atividade e à demanda por aço no país. “A indústria, no geral, deve manter o nível do primeiro semestre”, diz.

Com as vendas internas 6% mais baixas no acumulano ano, a saída para as siderúrgicas brasileiras seria o mercado externo. Entretanto, conforme o presidente Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), Benjamin Steinbruch, o problema é a atual taxa de câmbio. “O real está valorizado, a exportação seria uma opção para não parar de produzir, mesmo que a margem seja menor”, diz. Ele também preside a Fiesp.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave