Dispara a venda de usados

Com fim da Copa do Mundo, mercado de veículos seminovos cresceu 23,4% só no mês de julho

iG Minas Gerais | Janine Horta |

Melhora. Feliciano Quintão, da Activa Multimarcas, está otimista
Uarlen Valério
Melhora. Feliciano Quintão, da Activa Multimarcas, está otimista

Na contramão do que vem acontecendo com o mercado de veículos zero km – que teve queda de vendas em torno de 7,56% no primeiro semestre deste ano –, a venda de carros usados tem registrado crescimento de vendas de janeiro de 2014 até agora. A análise é da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), que divulgou um índice de 5% de crescimento de vendas em 2014 até o momento, comparando-se ao mesmo período de 2013.

Já o resultado de julho comparado ao período da Copa do Mundo (junho) foi ainda melhor: 1,185 milhão de veículos usados comercializados – um crescimento de 23,4%. Assim foi na Multiauto Veículos, loja do Shopping Portal, que fica na avenida Pedro II, no bairro Carlos Prates, em Belo Horizonte. O proprietário Sérgio Luiz Raso diz que, durante a Copa do Mundo, a loja vendeu 30 carros, enquanto a média do estabelecimento é vender 70 carros por mês. “Já estamos nos recuperando nesse pós-Copa, chegando a um patamar de 50 a 60 carros por mês. A tendência é de melhora de vendas até o final do ano”, analisa ele. Na Activa Multimarcas, o dono Feliciano Quintão é só alegria, mas pondera que as vendas ainda podem melhorar. A loja vende, em média, 20 carros por mês e teve uma queda em relação ao ano passado. “Estou vendendo cerca de 15 carros por mês. Isso se manteve assim ao longo do ano, não tivemos crise, até na Copa do Mundo. Se pararem com as notícias ruins na imprensa, que influenciam o mercado, as pessoas voltarão a comprar mais, e tudo vai fluir melhor”, acredita Quintão. José Carlos da Silva, dono da Auto Fórmula, também do Shopping Portal, diz que gira o estoque todo mês. “Vendo de 30 a 35 carros por mês. As vendas vêm melhorando”, assegura. Dificuldades. Já para o vendedor autônomo Hebert Fuscaldi, o mar não está para peixe. Há 17 anos no ramo, ele não vende um carro desde antes da Copa, sendo que sua média de vendas mensais é de quatro a cinco veículos. “Vou às feiras de usados do Minas Shopping e do Mega Space todos os domingos, e até os vendedores sumiram de lá”, conclui.

Financiamento no país cresce 16% em julho SÃO PAULO. O número de veículos financiados em julho no país somou 537 mil unidades – resultado 16% maior em relação a junho. Na comparação com mesmo mês de 2013, porém, o índice foi 10% inferior. Os dados são do Sistema Nacional de Gravames (SNG), que é operado pela Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos – a Cetip. No acumulado dos sete primeiros meses de 2014, o montante de carros de passeio e comerciais leves, motocicletas, veículos pesados vendidos a crédito chegou a 3,572 milhões – recuo de 8% sobre igual período do ano anterior. Segundo Marcus Lavorato, gerente de Relações Institucionais da unidade de Financiamentos da Cetip, o aumento de 16% na margem deve ser relativizado devido ao “efeito Copa do Mundo”. No mês de junho, o financiamento de veículos havia recuado 12%, e o aumento de julho apenas trouxe os negócios de volta aos níveis de maio, período que antecedeu ao megaevento esportivo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave