Estudantes da capital vencem concurso nacional de redação

Alunos fizeram textos inspirados na vida de Anne Frank

iG Minas Gerais | Luiza Muzzi |

Conquista. Willian escreveu sobre a luta por um mundo sem preconceito, e levou o primeiro  lugar
Alex de Jesus
Conquista. Willian escreveu sobre a luta por um mundo sem preconceito, e levou o primeiro lugar

Dois estudantes da rede pública de Belo Horizonte venceram um concurso nacional de redação sobre a história de Anne Frank, vítima do holocausto nazista durante a Segunda Guerra Mundial. Willian Junio de Souza, 15, conquistou o primeiro lugar do país e embarca no próximo dia 24 para Amsterdã, na Holanda, onde conhecerá o esconderijo de Anne e sua família. Ao lado da colega Lídia Helen Lopes, 14, Willian é motivo de orgulho para a Escola Municipal Anne Frank, no bairro Confisco, na Pampulha, vencedora do concurso pelo segundo ano consecutivo.

Para a diretora da escola, Sandra Mara Oliveira, a premiação é resultado de um longo trabalho de reflexão com os alunos sobre a cultura de paz inspirada pela menina judia que dá nome à instituição. “Estou muito feliz. O prêmio é um reconhecimento de que a metodologia de trabalho com projetos dá frutos”, afirma. Na escola, várias disciplinas são trabalhadas tendo a temática de Anne Frank como condutora. “Os alunos vivem o tema, trazendo o conteúdo para a realidade”.

Willian, que está vivendo a expectativa de sua primeira viagem para fora do Brasil, conta que, apesar de ter decidido participar do concurso de última hora, empenhou-se muito para produzir um bom texto. “Fiz a redação 16 vezes”, diz, ainda sem acreditar muito na vitória. “Não achava que ia ganhar. Mas quando resolvi participar, fiquei até a madrugada do último dia fazendo. Foi a primeira vez que me empenhei tanto em um trabalho”, admite.

Com a temática Anne Frank e a Preservação da Memória, a segunda edição do Concurso Nacional de Redações da Rede de Escolas Anne Frank teve a participação de alunos do 5º ao 9º ano do ensino fundamental de cinco escolas públicas de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Palmas (TO), Porto Alegre (RS) e Belo Horizonte. Lídia Lopes venceu a categoria do 6º ao 9º ano e ganhou um tablet. Também surpresa com sua vitória, ela conta que procura seguir no dia a dia os ideais deixados por Anne. “Ela nos ensinou a não desistir e a acreditar sempre em nossos sonhos”, afirma.

Luta

História. Anne foi uma menina alemã, de família judia, que se escondeu por dois anos até ser capturada e morta pelos nazistas. Seu diário virou livro e foi traduzido para vários idiomas.

Respeito a diferenças é legado

O concurso de redações Anne Frank é uma iniciativa da Confederação Israelita do Brasil, em parceria com a Federação Israelita do Estado de São Paulo (Fisesp) e o Arquivo Histórico Judaico Brasileiro. Um dos idealizadores do projeto, Alberto Milkewitz destaca a importância da reflexão sobre o legado de Anne. “Acreditamos que a história de Anne Frank é importante para o Brasil de hoje. Também aqui precisamos trabalhar para construir uma sociedade que garanta o respeito a diferenças”, disse.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave