Sonho do negócio próprio

iG Minas Gerais |

Cada vez mais brasileiros têm conseguido realizar o sonho da abertura do próprio negócio. Quase todos enxergam nessa realização a chance de transformar a vida profissional. Seria o fim das longas jornadas de trabalho e do cumprimento de ordens absurdas, acabando-se com a necessidade de se submeter aos caprichos de chefes arrogantes e autoritários. Nada melhor do que ser o próprio patrão! Mas logo a realidade se mostra diferente. Os novos empresários descobrem os desafios dessa empreitada e toda a dificuldade de ser um empreendedor. É grande o risco do sonho se transformar em um pesadelo.   Apesar do aumento do nível de empreendedorismo no Brasil, as pesquisas de entidades que apoiam os novos empresários, como o Sebrae, mostram que muitos negócios ainda são abertos sem a devida busca de informações pelos candidatos a empreendedor. Abrir um negócio é muito mais que abrir as portas de uma loja para vender produtos ou prestar serviços para os clientes. Exige toda uma preparação por parte do futuro empresário. Ele deve buscar conhecer o tipo de negócio em que irá atuar, buscando conhecer seus prováveis fornecedores e concorrentes e também os hábitos e necessidades de seus futuros clientes. Deve conhecer bastante do produto e serviço que pretende oferecer e de todos os processos e rotinas necessários para operar o seu negócio. Esse conjunto de conhecimentos é o chamado “plano de negócios”.   Uma etapa muito importante é o levantamento dos recursos financeiros que serão necessários para a implantação e funcionamento do negócio. Saber quais serão os recursos necessários para a reforma do ponto, para a compra de máquinas e equipamentos e para as primeiras compras junto ao fornecedor é importante para se determinar o valor do investimento inicial. Também devem ser levantados os compromissos mensais assumidos: aluguel, água, luz, telefone, funcionários e os impostos a serem recolhidos. Deve-se levantar o faturamento previsto. Qual será o volume de vendas? Responder a essa questão exige prudência do futuro empreendedor. Não se deve estabelecer um faturamento somente baseado na expectativa. Pesquisar o faturamento de empresas de porte semelhante é uma boa iniciativa. E não se pode esquecer que uma empresa quando começa suas atividades cresce aos poucos o seu faturamento. Com todos estes dados, podemos determinar o capital de giro necessário, importante para fazermos o negócio funcionar, enquanto forma-se a clientela.   As pesquisas do Sebrae mostram que a falta de conhecimento e preparo para lidar com a administração financeira é a principal causa de fracasso dos negócios abertos. Infelizmente, o fracasso é maior do que se imagina. Poucas empresas conseguem completar o primeiro ano de vida e destas, poucas completam o segundo ano.   E essa preparação é fundamental para que a abertura do novo negócio represente uma melhoria da vida financeira pessoal do empreendedor, e não como muitas vezes acontece, em que o novo negócio acaba significando uma fonte de desequilíbrio e desorganização de suas finanças pessoais.   Será realizado neste sábado, dia 16.8, o curso Meu Dinheiro – Planejamento Financeiro Pessoal, no hotel Sol Belo Horizonte (rua da Bahia 1.040, centro – quase esquina com av. Augusto de Lima) das 8h às 17h – com uma hora de intervalo para almoço. O conteúdo é bem completo: aprender a cuidar do seu dinheiro, a equacionar as dívidas, a realizar os sonhos. Serão apresentadas as principais formas de investimento hoje existentes. E também como abordar o tema finanças nos relacionamentos e com crianças. Para os participantes será fornecido Certificado de Participação, além de um exemplar do livro “Meu Dinheiro”. Mais informações podem ser obtidas no e-mail carloseduardo@harpiafinanceiro.com.br. Mandem dúvidas e sugestões para o e-mail carloseduardo@harpiafinanceiro.com.br

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave