Anvisa proíbe produtos Seca Barriga

Todos os lotes do emagrecedor não podem ser vendidos

iG Minas Gerais |

Resolução publicada ontem proíbe a comercialização do Seca Barriga
MERCADO LIVRE/REPRODUÇÃO
Resolução publicada ontem proíbe a comercialização do Seca Barriga

Brasília. A fabricação, distribuição e comercialização de todos os lotes do produto Seca Barriga em cápsulas estão proibidas no país, conforme determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Proibições também atingiram uma marca de saneantes e um produto de alisamento de cabelos.

Resolução publicada no “Diário Oficial da União” desta terça cita que a diretoria de Vigilância Sanitária do Estado de Santa Catarina encaminhou à Anvisa informações sobre a “inexistência de CNPJ e Inscrição Estadual, além de endereço falso do fabricante” e que o rótulo do Seca Barriga informa falsamente ser o produto fabricado por um laboratório de Rio do Campo (SC). Também foi proibido o produto “Extreme Liss Restore Argan Charis Professional”, fabricado pela empresa Di Fiorena Indústria Cosmética. Auditoria apontou que o produto têm características de um produto com ação de alisamento dos cabelos diferente da ação alegada pela empresa no ato de Notificação (categoria restaurador capilar – grau de risco I). O estoque deverá ser recolhido.

A Anvisa estabeleceu ainda, considerando determinar como medida de interesse sanitário, a suspensão da fabricação, comercialização, distribuição, divulgação e uso de todos os saneantes fabricados pela empresa JFH – José Fernandes da Hora, de Colatina (ES).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave