Campanha de Padilha pede para Globo rever critérios de cobertura

Emissora estabeleceu que candidatos com intenção de voto acima de 6% têm cobertura diária e que abaixo desse índice até 3% ganham cobertura semanal

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Campanha de Padilha pede para Globo rever critérios de cobertura em SP
Elza Fiúza/ABr
Campanha de Padilha pede para Globo rever critérios de cobertura em SP

O comando da campanha de Alexandre Padilha (PT) ao governo de São Paulo pediu neste terça-feira (12) para que a TV Globo reformule seus critérios de cobertura diária dos candidatos na disputa ao Palácio dos Bandeirantes.

Para acompanhar as eleições nacional e de São Paulo, a Globo estabeleceu que candidatos com intenção de voto acima de 6% têm cobertura diária e que abaixo desse índice até 3% ganham cobertura semanal.

Em carta enviada à emissora, o presidente do PT paulista, Emídio de Souza, afirmou que "não cabe a um veículo de comunicação definir critérios tão intangíveis para impedir que a televisão leve aos eleitores paulistas informações relevantes para o Estado e para as eleições, como as propostas dos postulantes".

O petista argumenta ainda que levando em conta a margem de erros, entre 2 e 3%, Padilha teria registrado intenções de voto da ordem de até 8%. Principal aposta do PT para as disputas ao governos estaduais e afilhado político do ex-presidente Lula, Padilha registra até agora 4% das intenções de votos, segundo Datafolha.

Segundo Emídio, o critério da Globo pode prejudicar o processo democrático. "Solicito a essa emissora que reavalie sua posição, visto que tais critérios podem incorrer em injustiça com o candidato em questão, bem como prejudicar o processo democrático da eleição e o direito assegurado aos cidadãos pela Constituição de garantia de informações de forma transparente e igualitária".

Coordenador da campanha petista, Emídio reconhece que a movimentação se deve "por saber do poder de comunicação da emissora e do impacto que a retirada das atividades e das propostas do Alexandre Padilha do noticiário diário podem provocar junto aos eleitores, que como revelam pesquisas de intenção de votos, querem mudanças e necessitam de informações para fazer suas escolhas".

A cobertura da corrida eleitoral em São Paulo pela Globo foi alvo de protesto do ex-presidente Lula na semana passada. Sem citar a emissora, Lula acusou a TV de fazer "sacanagem" ao exibir a agenda diária de candidatos "com 10% nas pesquisas", só para não divulgar Padilha.

A Globo informou que os "critérios de cobertura das eleições nacional e de São Paulo são absolutamente os mesmos das eleições de 2010. Os candidatos com intenção de voto acima de 6% na última pesquisa Datafolha e Ibope tem cobertura diária nos telejornais. Sendo que, por ter um número menor de candidatos em São Paulo, em vez de Padilha ter apenas uma cobertura semanal, tem duas".