Meta do Brasil no Mundial de Judô é chegar à quatro finais

Segundo a entidade, a expectativa é de que a seleção brasileira consiga superar a campanha na edição anterior do campeonato

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

A Confederação Brasileira de Judô (CBJ) já definiu as metas para a disputa do Mundial de Chelyabinsk, que acontecerá de 25 a 31 de agosto, na Rússia. Segundo a entidade, a expectativa é de que a seleção brasileira, composta por 18 judocas, consiga superar a campanha na edição anterior do campeonato, no ano passado, no Rio, quando somou uma medalha de ouro, três de prata e duas de bronze.

Assim como aconteceu no ano passado, a CBJ espera disputar quatro finais em Chelyabinsk. Além disso, quer repetir a performance da equipe feminina, com cinco medalhas conquistadas, e melhorar o resultado da seleção masculina, que conseguiu um único pódio no Rio. Para completar, o planejamento é para ficar entre os três melhores do Mundial por Equipes, tanto entre os homens quanto entre as mulheres.

"Nessa reta de final de preparação estamos realizando várias ações pontuais para fazer os últimos ajustes dos atletas como a o treinamento dos pesados em Belo Horizonte, vinda da Sarah Menezes para treinamentos no Rio e a ida de uma nutricionista e uma psicóloga para São Paulo para trabalhar com os atletas convocados de lá, tudo em parceria com o COB", disse Ney Wilson, gestor técnico da CBJ.

Depois de todo esse trabalho prévio promovido pela CBJ, que incluiu competições em todo o mundo, a seleção brasileira embarca nesta quarta-feira para Paris, na França, onde fará o último período de preparação antes do Mundial - a viagem para Chelyabinsk será no dia 21 de agosto.

"Os principais atletas da categoria estão inscritos. Temos que estar preparados para fazer cinco ou seis lutas para ser campeão. Esse é o objetivo", disse Rafael Silva, único medalhista da seleção masculina no último Mundial, quando conquistou a prata - ele lidera atualmente o ranking dos pesos pesados (acima de 100kg).

Leia tudo sobre: judoesporte