Técnico do Shakhtar Donetsk detona Bernard e critica sumiço

Segundo comandante, ex-atleticano dá 'a impressão de que é um jogador de Twitter e das redes sociais'

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Torcida atleticana vai poder matar a saudade de um seus ídolos: Bernard
Divulgação
Torcida atleticana vai poder matar a saudade de um seus ídolos: Bernard

Ainda sem se reapresentar ao Shakhtar Donetsk, o atacante Bernard foi alvo de duras críticas por parte do técnico do time ucraniano, Mircea Lucescu, nesta terça-feira. Em entrevista publicada em português no site oficial do clube, o treinador disse que o brasileiro não está se comportando como um jogador profissional por não dar notícias ao clube sobre seu retorno. "Já vai fazer quase três meses que a gente não o vê. E, em todo esse tempo, ele continua recebendo o salário do seu contrato", disparou Lucescu.

"O comportamento dele é simplesmente inexplicável para mim. Em 40 anos da minha carreira de treinador, eu nunca tinha me deparei antes com uma situação como esta que estou observando com ele! Nós nos separamos de Bernard no dia 15 de maio. Permitimos que ele fosse para casa mais cedo. Pois agora já vai fazer quase três meses que a gente não o vê. E, em todo esse tempo, ele continua recebendo o salário do seu contrato", reclamou.

Bernard foi liberado mais cedo pelo clube porque não vinha sendo titular do time e também para se preparar melhor para a Copa do Mundo. No Brasil, ele foi reserva no time de Luiz Felipe Scolari mas ganhou chances no decorrer de algumas partidas do Mundial. Foi titular apenas uma vez, justamente na trágica goleada de 7 a 1 para a Alemanha, na semifinal. Ao fim da Copa, ele ganhou folga extra assim como os demais jogadores que atuaram no Mundial. No entanto, não deu mais notícias ao clube ucraniano, de acordo com o técnico do Shakhtar.

"Nunca recebi dele nenhum telefonema, nenhum parabéns pela Supercopa da Ucrânia [título conquistado quando Bernard já havia sido liberado], nem mesmo palavras de ânimo sobre os outros jogadores. Eu ainda não tinha encontrado nenhum outro jogador que não confraternizasse com ninguém da equipe, nem brasileiros, nem ucranianos. Com ninguém!", criticou.

"A sensação que dá é que ele é um jogador de Twitter e das redes sociais. Aí ele contata com os fãs. Mas, ao mesmo tempo, não se comunica com a sua equipe, que é quem lhe paga o salário, e que não é nada pequeno! Estou surpreso com o comportamento dele", prosseguiu Lucescu.

O técnico disse ainda que já não estava satisfeito com o comportamento do brasileiro antes mesmo da liberação para a Copa. "Quando ele assinou o contrato, eu lhe expliquei a filosofia da nossa equipe e a minha filosofia pessoal. Expliquei-lhe o que era um campeonato ucraniano, o que os torcedores esperam do clube: entrega total em todos os jogos", afirmou.

"Eu chamei a atenção dele para ele pensar muito bem antes de assinar o contrato. Talvez eu até tenha mesmo ido contra os interesses do clube naquele momento... Ele não me escutou, assinou o contrato, provavelmente para receber dinheiro. E, como resultado, a gente o viu muito pouco aqui", disse. "Eu entendo que uma pessoa pode atrasar uma vez. Acontece. Mas a segunda, terceira, quarta vez... Bernard viajou por todo o mundo com a seleção brasileira, mas a gente aqui, infelizmente, não o viu."

Apesar das críticas, Lucescu deu a entender que Bernard ainda tem chances de seguir no time. "Ele é um jogador talentoso, com boas qualidades futebolísticas, mas o mais certo é que não seja para o Campeonato da Ucrânia. Se Bernard assumir uma postura mais séria e voltar para o clube que assinou com ele por cinco anos, então talvez algo mude", afirmou, antes de destacar: "Mas eu não sei quando ele vai aparecer".

A falta de contato com o clube deve gerar ao menos uma punição ao atacante. "Ele é o brasileiro mais bem pago da nossa equipe. E ele sabe que será punido. Embora eu nunca antes tenha feito isso. Eu lhe dei tempo para se adaptar."

Bernard ainda não se manifestou sobre as declarações do treinador, via assessoria ou através das redes sociais. O atacante vem adiando o retorno à Ucrânia por medo da tensão política com a Rússia. Donetsk é a cidade com maior predominância de manifestantes pró-russos, que querem a união com o país vizinho e enfrentam a resistência do governo central da Ucrânia.

Por essa razão, o brasileiro vinha negociando uma possível transferência para outro clube da Europa antes de se reapresentar ao Shakhtar. A demora, contudo, irritou o treinador da equipe, o que agora pode facilitar a saída do atacante da Ucrânia.

OUTROS BRASILEIROS - Lucescu também falou das situações de Alex Teixeira e Douglas Costa, meias que também se apresentaram com atraso e são especulados em equipes maiores da Europa. "Eles já estão trabalhando com o grupo. Eu disse aos jogadores antes do jogo com o Metalist. 'Se alguém sente que não está pronto para jogar, que admita isso honestamente'. Eu respeito as pessoas quando tudo é feito de modo correto. Àqueles que foram corretos comigo eu prometi logo: 'Eu não vou puni-los por isso. Vocês apenas terão problemas com os colegas de equipe'. Espero que no futuro eles se comportem profissionalmente. Eles são jogadores queridos pelos nossos torcedores", declarou.