Emerson Sheik e árbitro serão julgados por entrada desleal em Henrique

Sheik foi enquadrado no artigo 254 do CBJD, referente à jogada violenta na disputa de bola; punição prevista para o atacante é de duas a seis partidas de suspensão

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Travas da chuteira de Sheik estão marcadas na canela de Henrique
Reprodução/Twitter
Travas da chuteira de Sheik estão marcadas na canela de Henrique

Na próxima sexta-feira, o atacante Emerson Sheik, do Botafogo, será julgado pelo STJD por conta da entrada violenta no tornozelo esquerdo de Henrique, volante do Cruzeiro, no empate sem gols registrado pelas equipes na 13ª rodada do Brasileirão. Sheik foi enquadrado no artigo 254 do CBJD, referente à jogada violenta na disputa de bola. Segundo a legislação, a punição prevista para o atacante é de duas a seis partidas de suspensão.

Luiz Flávio de Oliveira, árbitro da partida, foi incurso nos artigos 259 e 260, n/f do art. 183, que falam sobre omissão do dever de prevenir ou de coibir violência ou animosidade entre os atletas, no curso da competição, com suspensão de 60 (sessenta) a 180 (cento e oitenta) dias e, na reincidência, suspensão de 180 (cento e oitenta) a 360 (trezentos e sessenta) dias, segundo o artigo 260.

Vale lembrar que Luiz Flávio de Oliveira mostrou apenas o cartão amarelo para o atacante botafoguense. A decisão lhe rendeu um gancho da comissão de arbitragem da CBF, presidida por Sérgio Corrêa. De acordo com o dirigente, o árbitro se equivocou e deveria ter punido Sheik de uma maneira exemplar. 

Na última semana, indignado com a atitude do atacante botafoguense, o superintendente das categorias de base do Cruzeiro, Bruno Vicintin, postou nas redes sociais uma foto em que a canela de Henrique aparecia bastante inchada e com marcas de travas de chuteira. O volante também comentou o lance. 

"Foi uma entrada desleal. A intenção foi machucar. Ele entrou com a sola um pouco alta, a intenção foi atingir a minha canela. Fico chateado porque você pode machucar um companheiro seu de trabalho, além de ter um risco de ficar um tempo parado. É triste para o futebol, que perde muito com lances deste tipo", concluiu.