Puxadinho será aproveitado

Guaranys afirmou ainda que, sobre a concessão, a Anac estará atenta, fiscalizando se as obras de melhorias previstas no contrato serão cumpridas no prazo

iG Minas Gerais | Queila Ariadne |

O puxadinho de R$ 26,82 milhões não será derrubado. O diretor-presidente da BH Airport, Paulo Rangel, disse que, embora o Terminal 3 estivesse previsto em outro lugar no projeto original, a concessionária optou por aproveitar a estrutura que já está pronta. No entanto, não soube precisar quando entrará em operação o que, quando acontecer, vai ampliar a capacidade anual de Confins em mais 5 milhões de passageiros.

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) afirma que a expectativa é entregar a obra ainda neste mês, mas a homologação depende da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac). “Está pronto. Agora o novo concessionário precisa conversar com as companhias aéreas para levá-las para operar lá”, afirmou o presidente da Infraero, Gustavo do Vale. Na semana passada, a reportagem de O TEMPO conseguiu entrar no local e mostrou que a estrutura de fato está pronta, acumulando poeira. O diretor-presidente da Anac, Marcelo Guaranys, explicou que está aguardando somente a entrega das documentações necessárias. Guaranys afirmou ainda que, sobre a concessão, a Anac estará atenta, fiscalizando se as obras de melhorias previstas no contrato serão cumpridas no prazo. Para o professor de logística da Faculdade IBS da Fundação Getúlio Vargas (FGV), José Alex Oliva, a entrada de um sócio privado vai dinamizar o ritmo de obras. “A administração pública fica engessada com trâmites burocráticos, que fazem as obras demorarem. O privado não tem essas amarras”, afirma Oliva.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave