Procuradoria de Lagoa Santa pede bloqueio de bens dos nove vereadores

Considerando exorbitantes os gastos da Casa, o MP entrou com processo contra todos os vereadores em exercício

iG Minas Gerais | Da redação |

A Promotoria de Justiça de Lagoa Santa entrou com ação cível contra os vereadores do município e exigiu o bloqueio dos bens dos nove parlamentares. Eles respondem às acusações de uso indevido de verbas de gabinete. Após denúncias deflagradas em março deste ano, o Ministério Público (MP) iniciou investigações na Câmara Municipal, onde verificou irregularidades ao longo de todo o ano de 2013. Considerando exorbitantes os gastos da Casa, o MP entrou com processo contra todos os vereadores em exercício. Além da declaração de gastos impraticáveis com combustível e manutenção de veículos, os parlamentares ainda declararam despesas com serviços terceirizados de assessoria jurídica e de imprensa, os quais não poderiam ser pagos com verba de gabinete porque a Câmara já tem funcionários contratados para exercer essas funções. Para agravar a situação, alguns dos contratados tinham relação de parentesco com um dos vereadores da cidade. Apesar do pedido de bloqueio dos bens, ainda não há data prevista para o julgamento. 

Improbidade Motivo. De acordo com a promotora de Justiça da cidade Janaini Keylly, “os gastos dos vereadores de Lagoa Santa não atenderam os critérios de moralidade e legalidade que são esperados”. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave