Organização Mundial da Saúde discute uso de remédio contra o ebola

Posição teve início após aparente sucesso da medicação em dois americanos infectados na Libéria

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Um painel realizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) com especialistas em ética médica começou nesta segunda-feira (11) a discutir o uso de tratamento experimental contra o ebola em pacientes da África ocidental.

Após o aparente sucesso da medicação em dois americanos infectados na Libéria -depois transferidos para os EUA-, a agência da ONU enfrenta um dilema. Aprovar um remédio em caráter experimental pode levar a acusações de que a entidade autorizou testes com medicamentos potencialmente prejudiciais em populações extremamente pobres.

Por outro lado, não liberar a droga causa a impressão de que a OMS permitiu sua utilização apenas em cidadãos de países ricos.

A Presidência da Libéria afirmou, por meio de nota nesta segunda, que o governo dos EUA aprovou pedido de doses da droga para o tratamento de médicos liberianos infectados, a serem entregues ainda nesta semana.

Também nesta segunda, a Costa do Marfim, vizinha de Guiné e Libéria, suspendeu voos de e para países afetados pelo ebola. O governo marfinense afirmou que vai barrar a entrada de passageiros vindos de avião das áreas atingidas pela epidemia, medida similar à adotada no fim de semana por Zâmbia, país do sul da África.

Na Nigéria, autoridades de saúde confirmaram que Lagos tem agora dez casos confirmados de ebola, enquanto a OMS atualizou o número de mortos do surto para 1.013.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave