Reunião sobre despejo termina com quatro propostas para evitar decisão

Participaram do encontro membros do movimento Brigadas Populares, representantes do Ministério Público (MP) do Estado e um ouviodor da Secretaria de Direitos Humanos do Governo Federal

iG Minas Gerais | Natália Oliveira |

A reunião entre membros do movimento Brigadas Populares, representantes do Ministério Público (MP) do Estado e o ouvidor Bruno Renato Teixeira, da Secretaria de Direitos Humanos do Governo Federal, terminou com a definição de quatro propostas para evitar a reintegração de posse. O encontro foi realizado na tarde desta segunda-feira (11) no saguão da sede do MP, no bairro Santo Antônio, na região Centro-Sul da capital.

A primeira proposta tem o objetivo de suspender o despejo por 30 dias, fazer um cadastro dos moradores, reconhecer o problema e tentar arranjar uma solução. A segunda prevê a redução da área ocupada, mas manter todas as pessoas no terreno. Reduzir o tamanho de cada lote e deixar que a prefeitura utilize parte do imóvel ocupado, foi a terceira proposta apresentada. A quarta e última tem o objetivo de cadastrar todos os moradores e encontrar uma solução para eles em relação à moradia, uma vez que estão dispostos a ir para o ‘Minha casa, minha vida’ ou ir para outro terreno da prefeitura.

O ouvidor da Secretaria de Direitos Humanos do Governo Federal declarou que o objetivo de participar da reunião é tentar intermediar nesse conflito e encontrar uma solução com a Prefeitura de Belo Horizonte, o governo do Estado e a Justiça.

"Atualmente esse é o conflito mais grave, porque está em eminência, apesar de que já tivemos outros graves, como Pinheirinho", disse Teixeira. Segundo ele a união vai tentar com a justiça essa negociação para não ocorrer o despejo.

Frei Gilvander , que é representante do movimento afirmou que os ocupantes pretendem permanecer no imóvel. "As famílias estão dispostas a morrer amanhã (terça-feira), já falaram que não vão sair e preferem ficar sem suas vidas a sair de lá. As famílias falaram que se tiverem que sair vão soltar o gás e explodir", declarou.

Medo 

Segundo informações de moradores das ocupações, o clima no local é de bastante tenso na noite desta segunda-feira (11). A região estaria repleta de policiais militares e um helicóptero da corporação teria passado sobrevoando o local e jogando panfletos com informações para mulheres e crianças saírem do local antes do despejo. A informação que corre entre os moradores é de que a reintegração de posse ocorrerá nesta terça-feira (12) de madrugada.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave