Conselho de Ética da Câmara votará cassação de Vargas no próximo dia 2

O Conselho de Ética da Câmara deverá se reunir no próximo dia 20 para votar o relatório que pede a cassação do mandato do deputado André Vargas (sem partido-PR).

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Vargas deixa sessão do Conselho de Ética e diz que recorrerá à CCJ e ao STF
Gustavo Lima / Câmara dos Deputados
Vargas deixa sessão do Conselho de Ética e diz que recorrerá à CCJ e ao STF

O Conselho de Ética da Câmara deverá se reunir no próximo dia 20 para votar o relatório que pede a cassação do mandato do deputado André Vargas (sem partido-PR). Ele é investigado no colegiado devido ao seu envolvimento com o doleiro Alberto Youssef.

O documento foi apresentado pelo relator do caso, deputado Júlio Delgado (PSB-MG), na última quarta-feira (6). Ele considerou que, em vários momentos a relação entre Vargas e Youssef eram bastante estreitas.

Vargas responde ao processo por quebra de decoro parlamentar devido ao seu envolvimento com o doleiro Alberto Youssef em dois episódios: um voo em um jatinho emprestado pelo doleiro e o suposto uso de influência do parlamentar junto ao Ministério da Saúde para viabilizar um contrato da Labogen com o órgão para a formalização de um contrato de R$ 35 milhões para produção de medicamentos.

No caso da Labogen, o relator afirmou que as diversas mensagens interceptadas pela Polícia entre os dois mostram que eles tinham uma relação próxima. "Não são fatos isolados mas consequência de um relacionamento estreito e íntimo que chegava a participação nos negócios de Youssef. Os contatos exemplificam o nível de ligação de ambos", disse na reunião de quarta. O pedido de cassação precisa ser votado pelos integrantes do Conselho de Ética. O quorum mínimo para deliberação é de 11 deputados. Caso não haja parlamentares presentes suficientes, devido ao recesso branco, a votação deverá ficar para a primeira semana de setembro, quando a Câmara volta a realizar esforço concentrado. Se for aprovado, o relatório ainda precisa ser analisado pelo plenário da Casa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave