Arbitragem em Criciúma não foi a primeira a prejudicar Cruzeiro

Gols mal anulados no último sábado repetiram atuações nas quatro rodadas, e seguem incomodando jogadores e comissão técnica celestes

iG Minas Gerais | Gustavo Falabella |

SC - CRICIÚMA X CRUZEIRO /CAMPEONATO BRASILEIRO - ESPORTES - Partida entre Criciúma X Cruzeiro neste sábado pela 14ª rodada da série a do Campeonato Brasileiro 2014 no estádio Heriberto Hülse. 09/08/2014 - Foto: EDUARDO VALENTE/FRAME/FRAME/ESTADÃO CONTEÚDO
ESTADÃO CONTEÚDO
SC - CRICIÚMA X CRUZEIRO /CAMPEONATO BRASILEIRO - ESPORTES - Partida entre Criciúma X Cruzeiro neste sábado pela 14ª rodada da série a do Campeonato Brasileiro 2014 no estádio Heriberto Hülse. 09/08/2014 - Foto: EDUARDO VALENTE/FRAME/FRAME/ESTADÃO CONTEÚDO

Os dois gols mal anulados na partida disputada no último sábado contra o Criciúma não foram os únicos erros que prejudicam a pontuação do Cruzeiro, no atual Brasileirão, e seguem rendendo polêmicas entre jogadores, comissão técnica e diretoria. Coincidência ou não, os erros se concentraram nas quatro primeiras partidas do certame. E voltou a acontecer sábado.

A vitória contra o Bahia, por 2 a 1, logo na primeira rodada, poderia ter vindo com mais tranquilidade, já que o meio-campo Alysson, no segundo tempo, sofreu penalidade ignorada pelo juiz. O time cruzeirense venceria com um gol no fim do volante Nilton, após cobrança de escanteio.

Na segunda rodada, a partida contra o São Paulo também foi marcada por uma decisão polêmica da arbitragem. Segundo os cruzeirenses, o juiz inverteu uma falta no último lance da partida. A infração gerou o gol de empate do time paulista, numa cabeçada do zagueiro Antônio Carlos.

Na derrota para o maior rival, por 2 a 1, em partida válida pela quarta rodada, no Independência, os cruzeirenses se queixaram da marcação de um impedimento, no fim da partida, que poderia render o gol de empate. O erro da assistente, Fernanda Colombo, fez o diretor Alexandre Mattos subir o tom das críticas e disparar “que ela não deveria trabalhar nos jogos importantes só porque era ‘bonitinha’.

Neste fim de semana, as queixas cruzeirenses vêm de dois lances no quais os atacantes marcaram, mas o juiz invalidou os tentos. No primeiro deles, Marquinhos balançou as redes, mas o baiano Jailton Macedo marcou falta de Ricardo Goulart sobre o zagueiro Fábio Ferreira. Já no segundo tempo, após bela jogada de Éverton Ribeiro, que finalizou na trave, Goulart cruzou para William fazer o gol, já sem goleiro, mas o assistente assinalou equivocadamente impedimento.

“É lamentável saber depois do jogo que o gol foi legítimo, não houve impedimento. Prejudicou, sim, mas não podemos falar dos méritos da equipe adversária”, se queixou o treinador Marcelo Oliveira, à beira do campo, já no fim da partida.

A repetição dos erros fez a diretoria do Cruzeiro se movimentar. A equipe irá formalizar reclamação oficial contra a arbitragem. "Eu acho que essa arbitragem de hoje foi uma das mais prejudiciais para o Cruzeiro nos últimos tempos. Perder dois gols em uma partida é uma coisa absurda. Além dos gols que ele anulou, ele teve uma inversão de faltas em número muito alta", disse o gerente de futebol do Cruzeiro, Valdir Barbosa.

Leia tudo sobre: cruzeiroraposaerroarbitragemcriciúmabrasileirãopolêmicalíder